Presidente do Sinmed defende uso de remédio polêmico e diz que “politizaram” o tratamento

Para Geraldo Ferreira, o tratamento sofre interferências por direcionamentos políticos

O presidente do Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed), Geraldo Ferreira, defendeu o uso da hidroxicloroquina para pacientes em estado inicial da Covid-19, e afirmou que a valorização do tratamento tomou rumos políticos.

O Sinmed recorreu à Justiça para contestar o pedido de “lockdown” em Natal e Região Metropolitana, solicitado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado (Sindsaúde), na quinta-feira (14). Em nota divulgada pelo Sindicato dos Médicos, além de ser contrário à medida de restrição de circulação, também foi citado o uso da hidroxicloroquina, medicamento defendido e lembrado frequentemente pelo presidente Jair Bolsonaro.

Para Geraldo Ferreira, o tratamento sofre interferências por direcionamentos políticos. O sindicalista acredita que apesar de apresentar resultados positivos em diversos países, o medicamento tem sofrido “desprezo” no Brasil, por conta de divergências voltadas para o cenário político.

“Há uma polarização muito grande, que tem desprezado experiências vitoriosas. Tem se colocado a questão da hidroxicloroquina como um grau de politização. Acho que aí é o mais sensível. Pessoas pertencentes a uma corrente política, desprezam qualquer medida da hidroxicloroquina, quando, na verdade, a Costa Rica usou, a Itália e a Espanha também. A Índia tem usado com sucesso. É uma droga absolutamente segura, com uso de anos no Brasil para tratamento de malária e lúpus. Ela tem sido desprezada. Estava na hora do governo estadual e municipal começar a explorar. Isso poderia diminuir a busca por leitos de hospital e de UTI”, explicou.

Segundo o presidente do Sinmed, os tratamentos experimentais de maior conhecimento foram efetuados de forma errada, que conforme dito por Ferreira, pode ser considerado um crime. Outro ponto alertado é o momento do uso do medicamento.

“Quem é contra? Foi feito um estudo em Manaus, em que as pessoas morreram. Aquilo foi criminoso. A dose é de 400mg ao dia, lá foram usadas 6g. Está sendo investigado. Tentaram se desacreditar de uma medicação de forma criminosa. O outro aspecto, diz respeito aos erros de liberarem para pacientes em situações graves. A hidroxicloroquina apresenta melhor resultado nos sintomas iniciais. Os efeitos colaterais são desprezíveis. Já conversamos com especialistas que acompanham pacientes de doenças tratadas pelo medicamento e nunca ninguém morreu. Quem está contra o tratamento, está tomando um posicionamento absolutamente político. Não podemos deixar o povo sem medicação”, contou em entrevista à Agora FM (97,9).

Um experimento realizado em abril foi interrompido após 11 pessoas morrerem durante o tratamento. Cerca de 81 pessoas participaram dos procedimentos em Manaus, algumas antes mesmo de receber a confirmação se estavam com coronavírus. Para os testes, eles receberam uma dose alta de cloroquina (600mg duas vezes ao dia por 10 dias, uma dose total de 12g) ou uma dose baixa de 450mg por cinco dias (duas vezes somente no primeiro dia, uma dose total de 2,7g). 

O trabalho de desenvolvimento no meio de uma pandemia é uma das dificuldades lembradas por Geraldo Ferreira, mas para o presidente, a hidroxicloroquina é um tratamento reconhecido por boa parte da classe médica. Além disto, Geraldo lembra que as pessoas não devem comprar desordenadamente.



MEDEIROS ACARI – POST

Covid-19: 86 milhões de brasileiros fazem parte de algum dos grupos de risco

A pesquisa foi coordenada por Leandro Rezende, professor do Departamento de Medicina Preventiva da Escola Paulista de Medicina (EPM-Unifesp) – Foto: Marcos Serra Lima/G1

Uma pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) mostra que mais da metade da população adulta brasileira está no grupo de risco da Covid-19. São 86 milhões de pessoas que apresentam ao menos um dos fatores que pode aumentar o risco de complicações, caso haja contaminação pelo coronavírus.

Dos 54% de adultos dentro dos grupos de risco, 30% deles têm ao menos um fator que pode causar o agravamento do quadro em caso de contaminação, 15% têm dois fatores, enquanto 9% têm 3 ou mais.

Foram considerados grupos de risco idosos (acima de 65 anos), portadores de doenças crônicas (doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão, doenças respiratórias crônicas (em particular doença pulmonar obstrutiva crônica), câncer e doenças cerebrovasculares (acidente vascular cerebral – AVC).

Também foram incluídos outros fatores de risco, provenientes de estudos mais recentes realizados nos Estados Unidos e na Europa, como doença renal crônica, obesidade, asma e tabagismo.

A pesquisa foi coordenada por Leandro Rezende, professor do Departamento de Medicina Preventiva da Escola Paulista de Medicina (EPM-Unifesp). O artigo será publicado na Revista de Saúde Pública, da Universidade de São Paulo.

O estudo considerou dados de 51.770 participantes da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2013. São as informações mais recentes da área. “Em 2019, teve início uma nova edição da PNS, que ainda não foi concluída”, afirmou Rezende. Os autores ainda consideraram sexo, cor da pele, escolaridade e unidades federativas do Brasil.

Menos instruídos têm mais fatores de risco

Considerando o grau de escolaridade, é possível perceber que adultos que não concluíram o ensino fundamental estão muito mais propícios a estarem nos grupos de risco, com 80%.

Enquanto isso, a parcela da pesquisa que possui ensino superior e apresenta fatores que podem agravar o estado de saúde é de 46%.

Para Rezende, há duas causas principais para a diferença entre os índices. “Pessoas com menor escolaridade tendem a ter um menor nível socioeconômico e menos acesso a recursos básicos”, disse.

“A prevalência de doenças é maior justamente na parcela da população mais vulnerável, que mora em locais onde o distanciamento físico é difícil, tem vínculos empregatícios mais frágeis e menos acesso a serviços de saúde. É preocupante”, afirmou Rezende.

Além disso, existe uma relação entre idade e nível de instrução. “Nas pessoas acima de 65 anos, 67% têm nível de escolaridade incompleto. Em pessoas abaixo dessa faixa, são apenas 15% tem o primeiro grau incompleto”, completou.

Análise por estados

A pesquisa também retrata a proporção no grupo de risco por estados.

Nesse caso, observa-se uma predominância de estados do Sul e Sudeste entre os que têm maior fatia da população nos grupos de risco, com Rio Grande do Sul (58,4%), São Paulo (58,2%) e Rio de Janeiro (55,8%) nas primeiras posições.

Por outro lado, Amapá (45,9%), Roraima (48,6%) e Amazonas (48,7%) são os estados com menor proporção de populações nos grupos de risco.

Para Rezende, a explicação também passa pelos fatores socioeconômicos.

“Há duas possíveis explicações para essa diferença. Uma tem relação com a maior expectativa de vida nos estados do Sul e Sudeste, onde o nível socioeconômico da população é maior e, portanto, há mais idosos. A outra seria o menor acesso ao diagnóstico médico no Norte e Nordeste, que poderia ter enviesado os dados sobre a prevalência de doenças como diabetes e hipertensão, que, muitas vezes, são assintomáticas no início”, diz.



CLIQUE – PUBLICIDADE

Com 8 mortes nas últimas 24 horas, número de mortes por Coronavírus no RN passa de 100

Em Caicó, 18 dos 20 leitos estão ocupados

O número de infecções confirmadas pelo novo coronavírus no Rio Grande do Norte soma agora 2.365, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado (Sesap) nesta quarta (13). Foram registradas 8 mortes a mais nas nas últimas 24 horas., totalizando agora 101 mortos.

Há ainda 7.818 casos suspeitos, 6.280 descartados, além de 48 óbitos em investigação. São 736 pacientes recuperados. Ainda de acordo com a Sesap, a taxa de isolamento social na terça (12) foi de 43%. A taxa de ocupação de leitos no estado está distribuída da seguinte maneira: em Mossoró, há duas vagas no Hospital São Luís; no Tarcísio Maia, 15 dos 17 leitos destinados a tratar Covid-19 estão ocupados.

Em Caicó, 18 dos 20 leitos estão ocupados; no Hospital Dr. Cleodon Carlos de Andrade, em Pau dos Ferros, não há internações. A situação é mais crítica na capital. No Giselda Trigueiro e no Hospital Municipal não há leitos disponíveis e o Hospital da Polícia Militar já conta com 90% de ocupação. Em todo o estado, 297 pessoas estão internadas com a doença. São 167 em estado crítico.

Mortes

As mortes ocorridas no RN até o momento foram registradas nas seguintes cidades:

  • Mossoró: 23 óbitos
  • Natal: 22 óbitos
  • Areia Branca: 6 óbitos
  • Assu: 5 óbitos
  • Canguaretama: 5 óbitos
  • Parnamirim: 5 óbitos
  • Macaíba: 3 óbitos
  • São Francisco do Oeste: 3 óbitos
  • Ipanguaçu: 3 óbitos
  • Serra do Mel: 2 óbitos
  • Apodi: 2 óbitos
  • Ceará-Mirim: 2 óbitos
  • Encanto: 2 óbitos
  • Tangará: 2 óbitos
  • Grossos: 1 óbito
  • Alto do Rodrigues: 1 óbito
  • Baraúnas: 1 óbito
  • Carnaúba dos Dantas: 1 óbito
  • Cerro Corá: 1 óbito
  • Lagoa de Pedras: 1 óbito
  • Nísia Floresta: 1 óbito
  • São Rafael: 1 óbito
  • São Pedro: 1 óbito
  • Sítio Novo: 1 óbito
  • Taboleiro Grande: 1 óbito
  • Timbaúba dos Batistas: 1 óbito
  • Montanhas: 1 óbito
  • São João do Sabugi: 1 óbito
  • Outras localidades: 2 óbitos

Total: 101 óbitos



ÓTICA -BANNER PUBLICIDADE

RN: Falta de profissionais capacitados prejudica desempenho do Samu

Em Caicó o Samu não está atuando, e em Macaíba apenas 50% do serviço está sendo disponibilizado

Problemas com os profissionais da empresa que ganhou a licitação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu Metropolitano) têm atrapalhado o funcionamento do serviço no Rio Grande do Norte. É que a empresa Reelecun Serviços Eirele Ltda não obteve o quantitativo suficiente de médicos capacitados para suprir as demandas necessárias.

No dia 27 de abril, a empresa Releecun venceu a licitação, mas não conseguiu reunir médicos para compreender as demandas. Em Caicó o Samu não está atuando, e em Macaíba apenas 50% do serviço está sendo disponibilizado.

Consta na ata da reunião da Comissão Extraordinária de Avaliação de Currículos Para Comprovação de Experiência do Corpo Clínico da Empresa Reelecun Serviços Eirelle EPP, que dos 44 nomes apresentados pela empresa, 41 apresentaram a documentação exigida em edital para que fosse feita a análise. Destes, apenas 20 cumprem os requisitos exigidos para assumir a função (clique AQUI e confira a Ata).

Dentre os que estavam sem cumprir os requisitos, 13 não apresentaram comprovação clara de um ano de experiência em urgência e emergência, seis são formados em medicina a menos de um ano, um apresentou declaração com menos de um ano de revalidação do diploma e um apresenta impedimento ético junto ao Samu.

A empresa Reelecun divulgou uma nota, com relação a ata apontando as irregularidades nos profissionais listados pela empresa para atuar no Samu. Veja:

RELEECUN SERVIÇOS EIRELI, vem, em virtude da divulgada ata da reunião da comissão extraordinária de avaliação de currículos da SESAP, formada para análise da comprovação de experiência do corpo clínico desta empresa, apresentada nos autos do processo administrativo da Concorrência Pública Nacional nº 002/2020, esclarecer que:

1 – apresentou quantitativo de médicos superior ao necessário para cumprimento das escalas objeto do contrato;

2 – a informação de que, do número total de médicos informados, “13 (treze) não apresentaram comprovação clara”, abre a possibilidade legal da realização de diligências, com a complementação documental pertinente e conseguinte classificação de tais profissionais;

3 – há ainda 3 (três) médicos, cuja documentação foi apresentada e que sequer figuram na lista publicada;

4 – referida documentação suplementar, que comprova que os profissionais possuem a exigida experiência de mais de 01 (um) ano, já foi levantada e será apresentada de forma imediata, de maneira que, não haverá prejuízo ao início das atividades junto ao SAMU 192 do Rio Grande do Norte.



ÓTICA -BANNER PUBLICIDADE

RN: Prefeitura de Ielmo Marinho reabre feira livre com barreiras de higienização

Segundo a secretária de saúde de Ielmo Marinho, Eliege Oliveira, o trabalho seguiu as instruções sanitárias

Atendendo todas as recomendações sanitárias, a Prefeitura de Ielmo Marinho realizou na última sexta-feira (8) a reabertura da Feira Livre do Município. Com apoio da secretaria municipal de Saúde, o local recebeu uma barreira de higienização na entrada, onde foram instalados lavatórios com água e sabão neutro e de álcool em gel 70% para o manuseio de qualquer alimento ou outro item que estivesse à venda na feira. Além disso, houve a distribuição de cerca de 800 máscaras para todos os feirantes e consumidores, em parceira com uma fábrica de confecções da região.

A retomada da feira garante aos ielmomarinhenses a geração de empregos e renda no Município, reativando a economia local, com a venda das mercadorias. A ação contou com apoio das secretaria municipal de Assistência Social, que durante a suspensão das atividades, em razão do decreto estadual, distribuiu cestas básicas aos feirantes.

Segundo a secretária de saúde de Ielmo Marinho, Eliege Oliveira, o trabalho seguiu as instruções sanitárias e ofereceu à população a possibilidade de retomar as atividades econômicas, dentro das orientações médicas.



MEDEIROS ACARI – POST

Comissão do Coronavírus: Secretário diz que projeções de mortes salvaram vidas

Segundo Cipriano, o RN já ativou desde o início da pandemia 124 leitos para pacientes com Covid-19

A Comissão de Enfrentamento ao Coronavírus da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte voltou a se reunir nesta segunda-feira (11), em mais um encontro por webconferência com o secretário estadual de Saúde Pública (Sesap), Cipriano Maia. O auxiliar da governadora Fátima Bezerra (PT) apresentou um levantamento das ações realizadas até agora pelo Executivo, disse que o hospital de campanha ainda pode ser necessário e defendeu a credibilidade das projeções apresentadas alertando para a possibilidade de mortes causadas pela Covid-19 neste mês no RN.

“Está sendo feito um uso distorcido de uma projeção. Assim como tem previsão do tempo, que nem sempre se confirma. Foram projetados números em cenários diferentes, dependendo do comportamento da população para mostrar possíveis surtos a sociedade. Era uma projeção. Felizmente boa parte da população aderiu ao nosso pleito pelo isolamento. Estamos tendo relativo sucesso, deveríamos comemorar e não condenar quem tem agido com responsabilidade. A gente deveria era pensar que bom que alertamos e contribuímos para evitar mortes. Não usando o debate para fazer política partidária, isso não contribui com o enfrentamento a pandemia”, disse Cipriano Maia.

A projeção questionada e defendida por Cipriano foi divulgada pela Sesap no início de abril. No estudo, a previsão era de se chegar ao dia 15 de maio com mais de 11 mil mortes no RN, com uma estimativa de isolamento social de aproximadamente 42% da população. Nesta segunda-feira (11), o RN passou a somar 90 óbitos pelo coronavírus. O secretário revelou que estudos semelhantes são feitos em diversas cidades do planeta. “O que apresentamos aqui foi aplicado no mundo todo. Não houve irresponsabilidade, nem erro. Foram cenários que felizmente não se realizaram. Mostramos que dependia de nós, por isso Governo tomou iniciativa para adotar medidas de proteção. Felizmente, tivemos sucesso”, completou.

Ao ser questionado se havia alguma previsão para reabertura do comércio na cidade, Cipriano disse que nesse momento não era possível apontar uma data. Sobre o hospital de campanha, Cipriano disse que a sua montagem foi inviabilizada pela não apresentação de propostas adequadas a necessidade do Estado, com a inclusão, por exemplo, de respiradores suficientes. Conforme o secretário, a semana se iniciou em Natal com 35 pacientes na fila de espera por um leito, sendo 8 em situação crítica – que precisam de UTIs.

Segundo Cipriano, o RN já ativou desde o início da pandemia 124 leitos para pacientes com Covid-19, espalhados nas várias regiões do Estado. Além disso, a Sesap trabalha com a expectativa de ampliar este número. Já foram anunciados mais 20 leitos em Natal e 10 em Macaíba, contratados juntos a empresa vencedora de licitação. E no Giselda Trigueiro, uma enfermaria inteira será transferida para o Hospital Onofre Lopes, permitindo que mais pacientes sejam hospitalizados na unidade.

Presidente da Comissão, o deputado Kelps Lima (SDD) alertou que as projeções feitas pela Sesap – que apontaram 11 mil mortes em maio – atingiram a credibilidade do governo. A projeção de mortes feita pelo Governo do RN também foi criticada pelo deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB), que participou da reunião desta segunda. Já o deputado Francisco do PT destacou o trabalho realizado pelo Governo do Estado no enfrentamento ao coronavírus até agora, e ressaltou a dificuldade de adotar as medidas corretas diante do total desconhecimento em torno da doença.

O deputado Getúlio Rêgo (DEM), abordou a importância do debate em torno dos consórcios intermunicipais de saúde. Tomba Farias (PSDB) enfatizou os recursos federais que estão sendo enviados para o Estado, e cobrou mais ações voltadas para a saúde pública da região do Trairi.



MEDEIROS ACARI – POST

Natal recebe mais sete leitos de UTI pediátrica com atuação da Coopmed-RN

A cooperativa segue na linha de frente do combate ao coronavírus, sendo esta a segunda escala de UTI exclusiva

O Hospital Maria Alice Fernandes reabre nesta segunda-feira (11) a UTI pediátrica, após três anos fechada. A reabertura ocorre após um trabalho do Ministério Público, Sesap e Coopmed-RN – que assumiu a escala da Unidade Intensiva, de forma exclusiva.

De acordo com a direção do hospital, serão sete leitos disponíveis, sendo um de isolamento e 20 médicos especializados e capacitados para atuarem neste momento. A coordenadora da escala do hospital, Dra. Ana Luísa, afirmou que os profissionais que atuarem receberão um treinamento contínuo por parte da Cooperativa Médica.

A cooperativa segue na linha de frente do combate ao coronavírus, sendo esta a segunda escala de UTI exclusiva. A direção da Cooperativa reforça sua preocupação com todos os critérios de segurança dos seus profissionais, além de realizar treinamentos presencias e online para os médicos, de forma que a população receba um atendimento de excelência e de acordo com os mais recentes protocolos para o tratamento da Covid-19.



CLIQUE – PUBLICIDADE

RN: Médicos comemoram primeira alta de paciente em estado grave com Covid-19

O Hospital da Polícia está preparado para atender aos pacientes do SUS da cidade de Natal e os que chegam encaminhados  por UPAs de diversos Municípios

A UTI do Hospital da Polícia, formada por uma equipe de médicos da Coopmed- RN,  comemora o seu primeiro paciente de Covid-19 a receber alta. Trata-se de Rodolfo Ariel, um feirante da Zona Norte de Natal, de 33 anos, com hipertensão não tratada e obesidade, o primeiro paciente com estado grave de insuficiência respiratória da unidade. Ele deu entrada no hospital no dia 30 de abril e recebeu alta nesta sexta-feira (8), entrando nas estatísticas de recuperados de Covid 19 do nosso Estado e do mundo.

De acordo com médico cardiologista e intensivista, Dr. Antônio Fernando Coelho Júnior, mais um paciente teve alta. “É uma grande satisfação poder ajudar essas pessoas que chegam com um quadro grave e conseguimos reverter”, conta o médico, que explica ter dado alta a outro paciente em estado menos grave, mas que necessitava de cuidados na enfermaria mesmo.

O Hospital da Polícia está preparado para atender aos pacientes do SUS da cidade de Natal e os que chegam encaminhados  por UPAs de diversos Municípios. A Coopmed-RN reforça seu compromisso com a vida e informa que antes da UTI ser inaugurada, todos os médicos intensivistas, que lá atuam, receberam um treinamento específico para o tratamento do Covid-19.



MEDEIROS ACARI – POST

Covid-19: Natal confirma óbito da vigésima primeira vítima

A vítima é uma mulher, de 75 anos, com histórico de hipertensão

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS) confirmou, neste sábado (9), o óbito da vigésima primeira vítima diagnosticada com a Covid-19 na capital potiguar. Com isso, o Rio Grande do Norte soma agora 88 mortes em decorrência do novo coronavírus.

A vítima é uma mulher, de 75 anos, com histórico de hipertensão. Ela apresentou sintomas respiratórios no dia 26 de abril, de acordo com a SMS. Buscou atendimento no serviço público de saúde no dia 3 de maio, onde foi realizada a coleta de material para exame. Em seguida, a mulher foi transferida para um hospital privado, onde estava internada até este sábado, quando faleceu.



MEDEIROS ACARI – POST

Nelter Queiroz pleiteia ações contra covid-19 em Jucurutu e região Seridó

Nelter Queiroz cobrou da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) a reativação do abastecimento hídrico do município de Florânia, realizado através do sistema adutor da Serra de Sant’ana

As ações para conter a disseminação do novo Coronavírus no Rio Grande do Norte estão orientando o trabalho parlamentar diariamente. Por isso, o deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) pleiteou ao Governo do Estado ações de prevenção e combate à Covid-19 em Jucurutu, terra natal do parlamentar, e em outros municípios da região. Outras demandas também foram apresentadas pelo deputado.

Nelter Queiroz cobrou da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) a reativação do abastecimento hídrico do município de Florânia, realizado através do sistema adutor da Serra de Sant’ana.

Ainda se tratando de Covid-19, o deputado também abordou a importância dos recursos extras que chegarão aos municípios potiguares e a importância do auxílio emergencial destinado pelo Governo Federal aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados.

Tecnologia

Em requerimentos encaminhados ao Governo do Estado, através da Secretaria Estadual da Saúde Pública (Sesap), o deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) sugeriu a utilização do oxímetro de pulso nos hospitais da rede pública estadual para detecção precoce dos efeitos causados pela Covid-19 no organismo e a elaboração de decreto que preveja o pagamento de pensão especial para famílias de servidores estaduais vítimas do coronavírus que tenham falecido no exercício da atividade.

Sobre uma pensão especial para servidores públicos estaduais que trabalham na área da saúde do RN, o deputado destacou que essa medida já foi adotada em outros estados brasileiros, a exemplo de Pernambuco e Rio de Janeiro, e seria um importante reconhecimento aos profissionais que perderam suas vidas atuando na linha de frente contra a doença. Nelter já remanejou R$ 500 mil em emendas para o combate à Covid-19 no RN.



MEDEIROS ACARI – POST