Hospital Regional do Seridó anuncia alta hospitalar para mais 02 pacientes confirmados Covid-19 neste domingo

O Hospital Regional do Seridó anunciou mais 02 pacientes confirmados COVID-19 tiveram alta hospitalar neste domingo (14) no referido Hospital.

Município de residência dos pacientes:
📍Caicó – 01
📍Currais Novos – 01

Os pacientes ficarão em isolamento domiciliar monitorados pela secretaria de saúde do seu município.

altahospitalar #vencendoacovid

HRS31anos

useamáscara

nãoaglomere

higienizeasmãos

▪️
@hrserido
▪️
Ouvidoria: (84) 98184-2042
3232- 6505/ 3232-3536
(SESAP) – 0800 084 2020
[email protected]



Publicidade Ismael 02

Covid-19: Brasil registra 12,3 mil mortes em uma semana e total chega a 275 mil

De acordo com o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), o país registrou 2.216 óbitos decorrentes da doença e 85.663 novos casos nas últimas 24 horas

Durante a semana mais mortal desde o início da pandemia no país, o Brasil registra, mais uma vez, mais de duas mil vítimas da Covid-19.

De acordo com o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), o país registrou 2.216 óbitos decorrentes da doença e 85.663 novos casos nas últimas 24 horas. Foi a segunda maior quantidade de infecções já registradas. O recorde aconteceu no dia sete de janeiros, quando 87.843 infecções foram notificadas.

No acumulado, são 275.105 vidas perdidas para o novo coronavírus e 11.363.380 casos confirmados. De acordo com o conselho, a taxa móvel de casos – que leva em consideração números dos últimos 7 dias – já ultrapassa os 70,5 mil e a de óbitos, está em 1.762. O Sudeste registrou o maior número de casos (29.542) nesta sexta. Dos óbitos, 891 ocorreram na região. O Sul do país aparece em seguida com 22.334 casos e 492 vítimas.

Entre 6 de março e esta sexta-feira (12), 12.335 pessoas morreram vítimas da doença. A pior semana, até então, havia sido a anterior, entre 28 de fevereiro e 5 de março, quando 8.545 óbitos foram registrados.

De acordo com boletim realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e divulgado hoje, o Brasil corresponde a 9,5% dos casos registrados no mundo e 10,3% dos óbitos globais, apesar de a populaçaõ brasileira corresponder a menos de 3% da população mundial.

O boletim ainda informou que, no último período analisado pela Fundação, apenas o estado do Pará apresentou quadro de melhora na ocupação dos leitos de UTI.

“Somente o Pará apresentou melhora para saída da zona de alerta crítico e retorno à zona de alerta intermediário. Dezessete estados e o Distrito Federal mantiveram taxas iguais ou superiores a 80%, e mais dois estados somaram-se a eles, resultando em um total de 20 unidades federativas na zona de alerta crítico, das quais 13 com taxas superiores a 90%. Seis estados que se mantiveram na zona de alerta intermediária ( 60,0% e < 80,0%) apresentaram crescimento do indicador”, aponta o boletim.

Sem melhora
Pesquisadores observam que o Brasil nunca alcançou uma redução significativa na curva de transmissão. Conforme o que vem sendo noticiado pela Fiocruz, os recortes de novos casos e óbitos vêm sendo superados a cada dia.

A situação de colapso dos sistema de saúde em grande parte dos estados e municípios se amplia a cada dia. O epidemiologista da Fiocruz/Amazônia Jesem Orellana diz que “o melhor que podemos fazer é esperar pelo milagre da vacinação em massa ou uma mudança radical no manejo da pandemia”.



Publicidade Ismael 02

Anvisa aprova registro da vacina de Oxford e de medicamento contra covid-19

O primeiro imunizante a obter o registro definitivo no Brasil foi o da Pfizer

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou, nesta sexta-feira (12), a aprovação do primeiro medicamento com indicação em bula para tratamento de pacientes infectados pela covid-19, o antiviral rendesivir.

A mesma medicação, da biofarmacêutica americana Gilead Sciences, também foi aprovada no ano passado para uso como medicamento oficial para o tratamento da covid-19 pela Food and Drug Administration (FDA), órgão norte-americano equivalente à Anvisa.

Vacina de Oxford

No anúncio, o gerente-geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da agência, Gustavo Mendes, disse que a Anvisa também concedeu o registro definitivo à vacina da AstraZeneca/Oxford, que já tinha autorização para uso emergencial no país, assim como a CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, em São Paulo.

O primeiro imunizante a obter o registro definitivo no Brasil foi o da Pfizer.

Com a liberação, a vacina do consórcio AstraZeneca/Oxford terá uma etapa de produção no Brasil, na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A autorização permite que a vacina seja aplicada em maiores de idade.

Desenvolvimento de vacinas

Para ser aprovada, a vacina precisa passar por estágios de desenvolvimento. O estágio inicial é feito em laboratório, com análise do vírus e de moléculas para definição da melhor composição do produto, explica a Anvisa.

Depois, a vacina é testada em animais, que são expostos ao agente causador da doença. Na etapa de estudos clínicos com três fases, são feitos testes em humanos desde que se tenha dados preliminares de segurança e possível eficácia.

Para liberar o registro do imunizante, técnicos especializados da Anvisa revisam todos os documentos para validar a segurança da vacina.



GORVERNO 01 – POST

Boletim do Hospital Regional do Seridó registra 94,1% de taxa de ocupação de leitos clínicos

Boletim Covid-19
Hospital Regional Telecila Freitas Fontes
11/03/21
▪️
Esse boletim é referente a pacientes internados nas últimas 24 horas no Hospital Regional do Seridó.
▪️
Confira na íntegra o boletim diário estadual no site: http://www.saude.rn.gov.br ou @governodorn
▪️

HRS31anos

useamáscara

nãoaglomere

higienizeasmãos

▪️
@hrserido
▪️
Ouvidoria: (84) 98184-2042
3232- 6505/ 3232-3536
(SESAP) – 0800 084 2020
[email protected]



Midia SL

Alerta! Pediatra do Hospital do Seridó chama a atenção para o aumento de casos de Covid-19 em crianças

Ela reforçou as recomendações acerca do uso da máscara, higiene das mãos com álcool e recomendou o uso de soro fisiológico na lavagem do nariz das crianças

Em entrevista no dia 8 de março ao programa 90 minutos com Gláucia Lima, a pediatra do Hospital do Seridó, Dra. Isabely Lopes, alertou para o aumento de casos de crianças com Covid-19. Segundo ela, entre suspeitos e confirmados, a urgência da pediatria do hospital recebeu 26 crianças, entre casos suspeitos e confirmados, na última sexta, 05. Nenhum dos casos era grave e não foi necessário a internação.

A médica disse que os casos de contaminação provavelmente ocorreram em casa e descartou que o aumento tenha ocorrido por causa da volta às aulas. Ela reforçou as recomendações acerca do uso da máscara, higiene das mãos com álcool e recomendou o uso de soro fisiológico na lavagem do nariz das crianças.

Pediu também que pais infectados não saiam do isolamento para levar seus filhos ao hospital, solicitem a algum familiar, não infectado, que leve a criança. Essa atitude põe em risco a equipe do hospital. Se a criança apresentar sintomas, leve a emergência do Hospital do Seridó, o atendimento funciona 24 horas.

Blog da GL



Midia SL

Hospital Regional do Seridó registra 4 altas hospitalares

Tiveram alta hospitalar neste domingo (07)

O Hospital Regional do Seridó anunciou que mais 04 pacientes confirmados COVID-19 tiveram alta hospitalar neste domingo (07) na referida unidade de saúde Telecila Freitas Fontes.

Município de residência dos pacientes:
📍Caicó – 03
📍Florânia – 01

Os pacientes ficarão em isolamento domiciliar monitorados pela secretaria de saúde do seu município.

altahospitalar #vencendoacovid

HRS31anos

useamáscara

nãoaglomere

higienizeasmãos

▪️
@hrserido
▪️
Ouvidoria: (84) 98184-2042
3232- 6505/ 3232-3536
(SESAP) – 0800 084 2020
[email protected]



Publicidade Ismael 02

Prefeitos do Seridó demonstram preocupação com crescimento do Covid e apresentam nota apoiando “toque de recolher”

Nota foi assinada pelos dezasseis municípios associados

A Associação dos Municípios do Seridó Oriental (AMSO) apresentou, no final da tarde desta quarta-feira (3), Nota Conjunta onde demonstra preocupação pelo aumento da incidência de contágio do Covid-19. O texto, aprovado pelos dezesseis municípios associados, enfatiza o apoio à decisão do Governo do Estado em instituir o “toque de recolher” a partir das 22 horas, como providência de prevenção para desestimular aglomerações.

Diante da ocupação – quase que total – dos leitos críticos e de UTI existentes na rede hospitalar (pública e privada) do Rio Grande do Norte, os gestores estão preocupados com a difícil realidade. Eles reconhecem, também, a importância e a urgência da campanha de imunização através da vacina, todavia, com alcance, até o presente momento, insuficiente para conter a atual onda de contágio e suas graves consequências.

Para o presidente da AMSO, Fernando Bezerra, diversos esforços já foram feitos por todos que subscrevem a nota, tanto em relação a ações preventivas, quanto à fiscalização. Ele pediu o apoio de toda população diante das medidas.

“Precisamos da ajuda da população. Cada um pode, com sua criteriosa conduta de prevenção, fazer muito. Os municípios estão preocupados com o atual momento. Todos os esforços possíveis estão sendo feitos. Os municípios vinculados a AMSO apóiam o toque de recolher sugerindo que as pessoas adotem este comportamento a partir das 22 horas. Uma iniciativa importante do Governo do Estado que tem se mostrado eficaz para desestimular as aglomerações depois deste horário”, contou Fernando, que também é prefeito de Acari.

A nota diz ainda que a depender dos próximos resultados e indicadores, os municípios poderão adotar outras medidas que sejam necessárias, tentando manter o quanto mais possível o funcionamento das atividades econômicas, mas priorizando sempre a preservação e a dignidade da vida humana.

Assinam a nota os municípios de: Acari, Bodó, Campo Redondo, Carnaúba dos Dantas, Cerro Corá, Cruzeta, Currais Novos, Equador, Florânia, Jardim do Seridó, Lagoa Nova, Ouro Branco, Parelhas, Santana do Seridó, São Vicente e Tenente Laurentino Cruz.



GORVERNO 01 – POST

ALERTA! Brasil bate novo recorde na pandemia: 1.726 MORTOS EM 24 HORAS

A média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias chegou a 1.274 – Foto: Internet

O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h desta terça-feira (2).

O país registrou 1.726 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas – recorde desde o início da pandemia – chegando ao total de 257.562 óbitos desde seu começo. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias chegou a 1.274. A variação foi de 23% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença.

O número de mortes em 24 horas registrado no Brasil nesta terça-feira (2) é superior ao registrado preliminarmente nos Estados Unidos na segunda-feira (1º) e compilado nos principais painéis de monitoramento. Segundo a Johns Hopkins, os EUA tiveram 1.567 mortes. O número é semelhante ao verificado pela plataforma Our World in Data, da Universidade de Oxford, que aponta 1.565 mortes no país. Os EUA somam, desde o início da pandemia, 515.985 óbitos.

Já são 40 dias seguidos com a média móvel de mortes acima da marca de 1 mil, 6 dias acima de 1,1 mil, e pelo terceiro dia a marca aparece acima de 1,2 mil. Foram quatro recordes seguidos de sábado até aqui. 

G1



Midia SL

Hospital Regional do Seridó anuncia alta hospitalar para mais 09 pacientes confirmados Covid-19

Os pacientes ficarão em isolamento domiciliar monitorados pela secretaria de saúde do seu município

O Hospital Regional do Seridó anunciou que mais 09 pacientes confirmados COVID-19 tiveram alta hospitalar nesta segunda-feira (01) na referida unidade de saúde Telecila Freitas Fontes.

Município de residência dos pacientes:
📍Caicó – 04
📍Timbaúba dos Batistas – 01
📍Serra Negra – 01
📍São José do Seridó – 01
📍Campo Redondo – 02

Os pacientes ficarão em isolamento domiciliar monitorados pela secretaria de saúde do seu município.

Os pacientes ficarão em isolamento domiciliar monitorados pela secretaria de saúde do seu município.

altahospitalar #vencendoacovid

HRS31anos

useamáscara

nãoaglomere

higienizeasmãos

▪️
@hrserido
▪️
Ouvidoria: (84) 98184-2042
3232- 6505/ 3232-3536
(SESAP) – 0800 084 2020
[email protected]



Midia SL

RN registra mais de 90% dos leitos ocupados

Os dados epidemiológicos foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap)

O Rio Grande do Norte registrou, na segunda-feira (1°), 23 novas mortes provocadas pela covid-19. Desse quantitativo, nove ocorreram nas últimas 24 horas nas cidades de Mossoró (02), Ipanguaçu (01), Natal (02), Paranamirim (01), Bom Jesus (01), Ceará-mirim (01) e Arez (01). Esse aumento elevou para 3.608 o número total de potiguares que já faleceram em decorrência do coronavírus. 

Os dados epidemiológicos foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). A atualização também mostrou um aumento de 534 novos casos da covid-19 apenas em um dia. Isso significa que o estado potiguar acumula, no momento, o total de 167.429 pessoas que já se infectaram com a doença desde o início da pandemia. 

Há ainda outros 86.760 casos considerados suspeitos de infecção. Com relação aos óbitos, segundo a Sesap, 726 ainda seguem em investigação para constatar se a causa tem relação ou não com o coronavírus.

Quanto à situação dos hospitais, o Regula RN, plataforma que monitora a ocupação de leitos, mostrou que, nesta segunda-feira (1°), o cenário da pandemia segue preocupante. Isso porque a taxa de ocupação geral de leitos críticos no RN está em 90,6%. Dos 21 hospitais destinados para tratamento da covid-19, 13 estão com 100% dos leitos ocupados. 

Especificando por região, a taxa de ocupação de leitos de UTI no Oeste está em 94,1% e na Metropolitana 91%. No Seridó, a taxa está em 82,9%. Há um total de 499 pacientes internados no Rio Grande do Norte para tratamento da covid-19, dos quais 261 estão em leitos críticos e 238 em enfermarias.  



Prefeitura Currais Novos Publicidade