RN tem falta de testes e de inseticida contra a dengue

Kits de testes estão em falta a nível nacional, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. Foto: Aléx Regis

O Rio Grande do Norte tem sido afetado, em meio ao atual quadro de epidemia de dengue, pelo desabastecimento de testes sorológicos para a detecção da doença e do inseticida Cielo ULV, utilizado para ações de combate ao mosquito Aedes aegypti durante a circulação de carros fumacê. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), a indisponibilidade de insumos no Ministério da Saúde (MS) é o que está provocando o desabastecimento no RN e em outras unidades federativas do País.

A Sesap esclareceu que o Estado conta com  testes para detecção de dengue e chikungunya por meio de biologia molecular, além de teste sorológico de dengue NS1. No entanto, estão em falta  testes sorológicos para Dengue IgM e Chikungunya IgG e IgM. “Isso decorre das dificuldades enfrentadas pela Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública do Ministério da Saúde na importação desses kits, que estão em falta. Assim que o estoque for regularizado, haverá encaminhamento dos kits aos Laboratórios Centrais de Saúde de todos os estados”, explicou a pasta.


O jornal Triuna do Norte apurou que, por falta de testes os exames sorológicos para detecção da dengue estão suspensos em Caicó, no Seridó potiguar, sem prazo para a retomada da testagem. O Município também não recebe, há semanas, a visita de um carro fumacê. Moradores da cidade reclamaram da falta de um inseticida utilizado nas aplicações de combate ao mosquito.


De acordo com a Sesap, o inseticida utilizado no Rio Grande do Norte é o Cielo ULV, empregado no controle do Aedes aegypti para situações emergenciais com elevada transmissão das arboviroses dengue, chikungunya e Zika vírus, em aplicações com equipamento costal motorizado e também por meio de carros fumacê. A pasta explicou que há o desabastecimento desse insumo nos estoques do Ministério da Saúde e que tem atuado para tentar minimizar os impactos da falta do inseticida. Hoje, apenas  Natal, Mossoró e Currais Novos utilizam carro fumacê, em razão da escassez do inseticida, bem como da situação epidemiológica dessas regiões.


No entanto, conforme a Secretaria, o insumo deverá acabar no próximo final de semana e não há prazo, por parte do Ministério da Saúde, para o envio do inseticida. “Inteiramos que a Sesap vem trabalhando insistentemente na tentativa de minimizar os problemas causados pela falta do Cielo ULV. Foram realizadas tentativas de empréstimo a alguns Estados vizinhos, mas não houve êxito devido à indisponibilidade do produto nos outros estados também”, afirmou a pasta.

Tribuna do Norte



Caicó vai abrir Centro de Testagem de Covid-19 no estacionamento do Hospital do Seridó

O prefeito de Caicó, Dr. Tadeu, anunciou nesta terça-feira (28), que vai abrir um centro de testagem de Covid-19, a partir do dia 30 de junho.

De acordo com o gestor, a estrutura será montada no estacionamento do Hospital do Seridó. “Eu participei de reunião na manhã desta terça-feira com a equipe técnica da Secretaria Municipal de Saúde e determinei a abertura do centro de testagem. O serviço se faz importante nesse momento de aumento de casos positivos de Covid no município”, disse.

O horário de funcionamento será o seguinte:

De segunda a sexta-feira, das 08h às 17h.

Aos sábados e domingo: das 08h às 12h.

Nesta quarta-feira (29), acontecerão novas reuniões com o objetivo de alinhar as ações com as equipes da atenção básica de Caicó.



No momento, varíola dos macacos não é uma emergência de saúde, diz OMS

Atualmente, apenas a pandemia de coronavírus “recebe” o título de “emergência global”. Foto: Science Photo Library

No último sábado, 25, a Organização Mundial da Saúde (OMS), decidiu que a varíola dos macacos ainda não é uma preocupação. Porém, o diretor geral da Organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que, para ele, o surto é uma preocupação.

“Estou profundamente preocupado com o surto de varíola, está é claramente uma ameaça à saúde em evolução que meus colegas e eu na Secretaria da OMS estamos acompanhando de perto”, afirmou Tedros.

Segundo a OMS, nas últimas seis semanas, em 48 diferentes países onde geralmente a varíola não se espalha, mais de 3.200 casos já foram confirmados e um óbito relatado.

Em nota divulgada pela OMS, “diretor-geral da Organização concorda com o conselho oferecido pelo Comitê de Emergência do RSI em relação ao surto de varíola em vários países e, no momento, não determina que o evento constitua uma Emergência de Saúde Pública de Interesse Internacional (ESPII)”.

Atualmente, apenas a pandemia de coronavírus “recebe” o título de “emergência global”.

Embora seja em oferta limitada, vacinas e tratamentos que combatem a varíola dos macacos estão disponíveis.

Agora RN



Mais de 6 mil potiguares são vacinados contra covid, gripe e sarampo no ‘Arraiá da imunização’

Foto: Internet

Neste sábado (25), mais de 4,7 mil potiguares procuraram um posto de vacinação e se imunizaram contra a Covid-19. O “Arraiá da imunização” foi uma ação promovida pela Secretaria de Estado e Saúde Pública (Sesap) para conscientizar a população sobre os benefícios das vacinas. Imunizantes contra a Influenza e Sarampo também estavam disponíveis.

Segundo os dados da plataforma ‘RN + Vacina’, foram 4.703 doses do imunizante contra a Covid-19 aplicadas até às 18h10 de hoje. Agora, o RN conta com 2.707.649 pessoas vacinadas com as duas doses ou a dose única, o equivalente a 85% do público apto a se imunizar.

Em relação as doses de reforço, são 1.612.021 potiguares com o primeiro reforço (D3) tomado, 50% do público habilitado, e 300.092 com a segunda dose (D4) aplicada, 9% da população.

Influenza

O imunizante contra a gripe também estava disponível nos postos neste sábado e 4.046 potiguares não perderam a oportunidade e se vacinaram contra a doença. Qualquer pessoa a partir dos 6 meses de idade pode tomar o imunizante.

Sarampo

Já a vacina voltada à prevenção contra o sarampo teve 219 doses aplicadas e registradas no sistema da plataforma ‘RN + Vacina’.

Portal da Tropical



Secretaria de Saúde emite Nota sobre a suspeita de caso da varíola dos macacos no RN

NOTA

A SESAP informa que foi notificado o primeiro caso suspeito de Monkeypox, conhecida popularmente como varíola dos macacos. O paciente está bem, sem necessidade de internação e foi atendido e notificado no Hospital Giselda Trigueiro para investigação.

O paciente é um homem, 40 anos, com histórico de viagem na Espanha e por orientação médica segue isolado em casa.

Ainda está semana a secretaria emitiu uma nota técnica de orientação e manejo da doença no estado do Rio Grande do Norte e os hospitais de referência são Giselda Trigueiro em Natal e Rafael Fernandes em Mossoró.



RN registra 731 novos casos de Covid nas últimas 24h, aponta Sesap

Foto: Arquivo Agora RN

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), nesta quinta-feira 23, 731 novos casos de Covid-19 foram confirmados nas últimas 24 horas, no Rio Grande do Norte.

O boletim ainda informa que não houveram óbitos em um intervalo de 24h.

Com esse novo levantamento, o estado soma 519.283 casos confirmados e 8.238 mortes referentes à Covid.

Agora RN



Preocupante: Rio Grande do Norte tem mais de 1 milhão de pessoas com a vacina contra covid-19 atrasada

Vacinação contra a covid-19 segue em postos como o do Via Direta. Pessoas de 18 a 39 anos são maioria em atraso. Foto: Alex Régis

O Rio Grande do Norte soma 1.014.453 pessoas que ainda não receberam a segunda e a terceira doses da vacina contra a covid-19, de acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). Os números indicam que 255.141 cidadãos estão com a D2 atrasada, ao passo que 759.390 não receberam a primeira dose de reforço contra a doença, a chamada D3. A Sesap classifica o cenário como “inquietante” e aposta em estratégias como a realização de um ‘Dia D’ no próximo sábado (25) para reduzir a quantidade de pessoas com doses em atraso.

A maior parte dos potiguares com o esquema vacinal incompleto se concentra na população dos 18 aos 39 anos. São 440.427 pessoas sem a D3 nessa faixa etária. A Sesap também chama atenção para o baixo número de crianças (dos 5 aos 11 anos) que receberam a D2 no Estado: apenas 38% do público-alvo (129.884). As doses em atraso para essa faixa etária somam 60.684. Já entre as crianças que receberam a D1, a cobertura vacinal é de 63%, com 212.436 vacinados.


Para a coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Lima, a baixa adesão está ligada a fatores como disseminação de notícias falsas sobre o tema e dificuldades de acesso aos imunizantes que protegem contra os casos graves da doença. A gestora da Sesap alerta  sobre a importância de completar a vacinação, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde.  “Não adianta iniciar o esquema e não completá-lo”, afirma.


Kelly Lima avalia que os municípios precisam agir de forma criativa para atrair o público à vacinação. Segundo ela, a Sesap tem atuado para auxiliar no desenvolvimento de ações que despertem o interesse da população pelo processo de vacinação. “Estamos desenvolvendo uma série de estratégias para ampliar a cobertura, com estratégias que vão desde vacinação nas escolas, ampliação de horário junto aos municípios [para aplicação de doses], realização de Dia D e outras estratégias de vacinação itinerante. É preciso que a busca ativa nos municípios seja efetiva na movimentação de trazer as pessoas à imunização”, destaca.


A coordenadora  de Vigilância em Saúde da Sesap disse, ainda, que a população precisa se conscientizar sobre a importância da vacinação para a redução dos casos graves e de óbitos relacionados à infecção por covid-19.   “Nós  observamos que, neste mês de junho, todos os óbitos registrados até agora são de pessoas com o esquema vacinal incompleto. Isso é um grande sinalizador de que as pessoas que iniciaram o esquema e não completaram  estão sem proteção contra a covid-19”, alerta.

Tribuna do Norte



Ministério da Saúde planeja 4ª dose contra Covid para todos com mais de 18 anos

Foto: internet/ divulgação

O Ministério da Saúde planeja liberar a quarta dose da vacina contra a Covid-19 para todas as pessoas com 18 anos ou mais. “Em 2021, aplicamos duas doses de vacinas. Em 2022, essa deve ser a tendência. Todavia tem a análise técnica, que precisa ser superada”, afirmou à Folha o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

O ministro afirmou que, com o aval da área técnica, a ideia é convocar todas as pessoas com 18 anos ou mais de uma só vez, e não de forma escalonada.

Atualmente, a quarta dose —ou segunda dose de reforço— está sendo aplicada em pessoas com 50 anos ou mais, trabalhadores da saúde e imunossuprimidos, como pessoas com câncer e transplantados.

O ministério deve anunciar a ampliação para quem tem 40 anos ou mais até o final da semana, como a Folha revelou. Alguns locais, como o Distrito Federal, Teresina, Belém e a cidade do Rio, já começaram a aplicação para esse público antes mesmo da recomendação do governo federal.

“Se houver a aprovação [da quarta dose] para os adultos acima de 18 anos, todos que tomaram a dose de reforço há mais de quatro meses estariam aptos”, disse Queiroga.

A intenção da Saúde de liberar a quarta dose para todos os adultos foi noticiada pelo jornal O Globo e confirmada pela Folha. ​

A ampliação da quarta dose ocorre em meio à estagnação da cobertura vacinal e à enorme quantidade de vacinas contra a Covid-19 em estoque.

Como mostrou a Folha, quase 28 milhões de doses perderão a validade nos próximos dois meses. São ao menos 26 milhões de unidades da Astrazeneca e 1,92 milhão da Pfizer.

Cerca de 11 milhões de doses vencem no mês que vem e 16 milhões em agosto. Os dados foram levantados pelo TCU (Tribunal de Contas da União).

A expectativa do ministro é de que o parecer favorável à aplicação da quarta dose para pessoas com 18 anos ou mais seja dado nos próximos dias.

no entanto, que a CTAI (Câmara Técnica de Assessoramento em Imunizações) já discutiu a aplicação da quarta dose para quem tem 30 anos ou mais e concluiu que não existem evidências científicas que embasem essa decisão.

Queiroga afirmou que “também é objetivo avançar na primeira dose de reforço”. “Estamos bem, mas sempre é possível ampliar a cobertura.”

Questionado sobre a aplicação da terceira dose nas crianças de 5 a 11 anos, o ministro disse que isso ainda precisa ser discutido pela área técnica, mas que as evidências científicas são “muito incipientes”.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) ainda está reunindo informações técnicas sobre o uso da vacina Coronavac em crianças de 3 a 5 anos. O pedido de liberação foi feito pelo Instituto Butantan, de São Paulo.

No último dia 8, a agência discutiu os dados de eficácia e segurança com especialistas das sociedades brasileiras de infectologia, pediatria e imunologia, além da Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva).

Até o momento, a Anvisa autorizou o uso emergencial da Coronavac para pessoas a partir dos seis anos de idade. A vacinação das crianças de 5 anos é feita com a Pfizer.

O grupo etário entre 0 e 5 anos se tornou o de maior risco de hospitalização pelo coronavírus, excetuando a população acima de 60 anos, segundo análise inédita do Infogripe-Fiocruz, da Fundação Oswaldo Cruz, que monitora os casos de síndromes respiratórias agudas graves no país.

FolhaPress



Ministério da Saúde lança iniciativas para saúde mental pelo SUS

O objetivo do Ministério da Saúde é ampliar a assistência de pessoas com transtorno mental leve. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Ministério da Saúde lançou nesta segunda-feira (13) iniciativas voltadas para o cuidado da saúde mental dos brasileiros pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Entre elas, estão a Linha Vida (196), teleconsultas para o enfrentamento dos impactos causados pela pandemia da covid-19 e as Linhas de Cuidado para organizar o atendimento de pacientes com ansiedade e depressão. Ao todo, serão destinados mais de R$ 45 milhões às ações.

A Linha Vida, que atenderá pelo número 196, acolherá pessoas e fará o direcionamento, buscando a prevenção do suicídio e da automutilação. O projeto-piloto começará pelo Distrito Federal, por um sistema de atendimento multicanal. O serviço vai funcionar 24 horas por dia, todos os dias da semana.

Já o Projeto Teleconsulta (telepsiquiatria e teleterapia) irá apoiar as pessoas que estão lidando com os impactos na saúde mental causados pela pandemia da covid-19. Feito em parceria com a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), o objetivo é ampliar a assistência de pessoas com transtorno mental leve, por meio de recursos de telemedicina. Serão disponibilizados, mensalmente, de forma online, 12 mil teleconsultas de psicólogos e 6 mil teleconsultas de psiquiatras. Os serviços serão agendados pelas equipes das Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Os atendimentos serão realizados por meio de plataforma virtual que disponibilizará o prontuário eletrônico para o registro dos atendimentos e um programa para a análise dos dados produzidos. O ambiente será integrado a uma central de agendamento para marcação das consultas e haverá um chat para autogestão do cuidado e para acompanhamento digital da saúde mental do usuário. As equipes receberão treinamento e login de acesso ao portal, de acordo com os critérios definidos pelas Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde.

Agora RN



Número de casos de covid no RN cresce 338% em 10 dias

Apesar do aumento no número de casos de covid-19, não houve aumento na quantidade de internações e óbitos. Foto: Nilton Fukuda 

O Rio Grande do Norte registrou, nas últimas 24 horas, 421 casos confirmados de covid-19. O número é o maior após a onda da ômicron. Dez dias atrás, o número registrado em 24 horas foi de 96 casos. O aumento é de 338%.

O crescimento nos casos registrados de covid-19 motivaram o Governo do Estado a emitir portaria sugerindo a utilização de máscaras em locais fechados, incluindo escolas, e que a população retome os cuidados com higienização das mãos. Apesar da medida não ser obrigatória, ela foi acompanhada por outros órgãos no Rio Grande do Norte, como o Tribunal de Justiça e a Assembleia Legislativa.


Apesar do aumento nos casos confirmados, não houve aumento no número de hospitalizações ou óbitos. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde Pública, nenhuma morte foi registrada nas últimas 24 horas. Já sobre as internações, o Rio Grande do Norte teve 9 pedidos para leitos em unidades de saúde públicas. Ao todo, o Rio Grande do Norte tem 19 pacientes internados em leitos críticos da rede SUS.


Ainda segundo dados da Sesap, nos últimos 30 dias, o Rio Grande do Norte teve cinco mortes em decorrência da covid-19, com 29 internações nas em 17 unidades de saúde voltadas ao atendimento de pacientes acometidos pela doença na rede pública.


Alerta

A média móvel semanal de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) cresceu 39,5% entre a primeira e a última semana de maio, segundo o boletim InfoGripe divulgado nesta quinta-feira (9) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Entre os dias 29 de maio e 4 de junho, foram registrados no País 7,7 mil casos da síndrome.


A Fiocruz informa ainda que, se for considerada apenas a população adulta, com 18 anos ou mais, a estimativa é que esse crescimento tenha sido de 88,7%. Entre as crianças, os casos se mantêm estáveis em patamar considerado alto e continuam mais associados ao vírus sincicial respiratório (VSR).
O estudo mostra que a covid-19 está retomando espaço entre os casos de síndrome respiratória na população em geral. Na última semana de abril, o vírus respondia por 41,2% das síndromes respiratórias graves com teste positivo para algum vírus. Já na última semana de maio, o percentual chegou a 69%. Se forem considerados apenas os óbitos por SRAG viral, 92,22% foram causados pelo SARS-CoV-2 na última semana pesquisada.


O boletim aponta que, nas últimas seis semanas, há tendência de crescimento da síndrome em 24 das 27 unidades da federação. As exceções são Tocantins, Ceará e Pernambuco. Os pesquisadores acrescentam que, no Rio Grande do Sul, tem se observado aumento também nos casos positivos para Influenza (gripe) em diversas faixas etárias.

Tribuna do Norte