ENEM 2020: Governo Federal inicia o planejamento de segurança e logística

Segundo o  coordenador-geral de planejamento operacional da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Fernando de Sousa Oliveira, a Operação Enem 2020 vai contar com aproximadamente 70 mil operadores de segurança pública atuando na segurança  do exame

Faltam cerca de três meses para a aplicação das provas do Enem – Exame Nacional do Ensino Médio 2020, mas o planejamento de segurança e logística já começou. O Exame tem 5 milhões e 700 inscritos que vão fazer as provas  em mais de mil e 700 municípios. As estratégias da Operação Enem 2020 foram debatidas em um encontro técnico  esta semana. 

A operação Enem 2020, que envolve o planejamento da distribuição das provas, a avaliação de riscos e a garantia de segurança para a realização do exame, teve a participação de representantes do Inep , Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, responsável pela aplicação do exame, dos Correios, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e das forças de segurança de 26 estados e do Distrito Federal.

Segundo o  coordenador-geral de planejamento operacional da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Fernando de Sousa Oliveira, a Operação Enem 2020 vai contar com aproximadamente 70 mil operadores de segurança pública atuando na segurança  do exame.



PRIMOR – PUBLICIDADE

Censo mostra que ensino a distância ganha espaço no ensino superior

Os dados de 2020 serão divulgados apenas no ano que vem

O Censo da Educação Superior de 2019, divulgado hoje (23) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), aponta que quatro a cada dez calouros no ensino superior optaram por se matricular em cursos de graduação a distância. O levantamento mostra que a educação a distância (EaD) tem ganhado cada vez mais espaço na educação superior, enquanto o ensino presencial tem reduzido as matrículas ano a ano.

Em 2009, as matrículas dos calouros em EaD representavam 16,1% do total. Em 2018, elas representavam 39,8% do total de estudantes que ingressaram nas instituições de ensino superior. No ano passado, eram 43,8%, o que equivale a cerca de 1,6 milhão do total de 3,6 milhões de novos estudantes. Considerando apenas a rede privada, onde estão matriculados 76% do total de estudantes do ensino superior, a opção pela EaD foi ainda maior entre os calouros, chegando a pouco mais da metade dos alunos, 50,8%.  

Já o ensino presencial teve redução. Passou de 60,1% das matrículas dos calouros em 2018 para 56,2%, em 2019. Em 2020, com a pandemia do novo coronavírus (covid-19), o número de ingressantes em EaD deve aumentar ainda mais, de acordo com o presidente do Inep, Alexandre Lopes. Os dados de 2020 serão divulgados apenas no ano que vem.



ÓTICA -BANNER PUBLICIDADE

UFRN desenvolve tijolo ecológico com resíduos da produção de sal

A nova tecnologia nasce revestida de singular importância para o Rio Grande do Norte

Um tipo de tijolo solo-cimento, formado a partir da incorporação de um resíduo da produção do sal, é o resultado de uma pesquisa desenvolvida por um grupo de cientistas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e objeto de recente depósito de pedido de patente da Instituição, sob a denominação Tijolo ecológico produzido a partir da combinação de cimento, solo laterítico e carago.

A nova tecnologia nasce revestida de singular importância para o Rio Grande do Norte, visto que o estado concentra 95% da produção de sal no Brasil, tendo relevância também no fornecimento a âmbito mundial.

“O resíduo incorporado da indústria salineira é o carago, a primeira camada que se forma nos tanques de evaporação. No momento da colheita do sal, ele não é utilizado, ficando em pilhas nas salinas, sem um destino correto. Assim, além da importância tecnológica da inovação e da relevância econômica, há também o aspecto da sustentabilidade, pois provoca a diminuição de impactos ambientais”, afirmou Priscylla Cinthya Alves Gondim, uma das inventoras.

O carago foi analisado durante um ano, através de ensaios. O resíduo foi inserido no tijolo solo-cimento com oito composições diferentes e testes seguindo as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). O melhor resultado foi escolhido para solicitar a patente, no entanto “em todas as composições obtivemos excelentes resultados, cerca de três vezes a mais que a resistência padrão exigida pela norma”, afirmou Cinthya que também é professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). Os materiais  apresentaram-se viáveis em alvenaria de vedação, ou seja, as que são dimensionadas para suportar seu próprio peso.

Wilson Acchar, professor pesquisador e Supervisor do doutorado de Priscylla no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia dos Materiais (PPGCEM) da UFRN, explicou que a combinação do resíduo da indústria salineira, o carago, substância de dimensão grossa e lamelar, com o cimento e solo laterítico, com granulometrias fina e esférica, conferiu um bom empacotamento ao material formado, melhorando a coesão entre as partículas, facilitando a trabalhabilidade.

Construção de baixo custo

Além de Wilson e Priscylla, o grupo de inventores é composto por Sheyla Karolina Justino Marques e João de Medeiros Dantas Neto, em uma pesquisa fruto de parceria da UFRN com os Institutos Federais do Rio Grande do Norte e de Alagoas.

Eles ressaltaram ainda que o tijolo proposto pode ser utilizado para construção de casas populares de baixo custo e a sua elaboração é realizada de forma simples, confeccionando um material de baixo custo e de fácil produção. Por não precisar de materiais sofisticados, tampouco de mão de obra qualificada, acreditam que é uma ferramenta para proporcionar maior acesso à moradia para populações de baixa renda.

Patente

O pedido de patente deste novo tipo de tijolo passa a integrar o portfólio da vitrine tecnológica da UFRN, juntando-se a quase outras 300 novas tecnologias. A quantidade de novos pedidos realizados nos últimos anos faz com que a UFRN figure em destaque em rankings alusivos à números de propriedade intelectual. Um exemplo é o ranking dos maiores depositantes residentes 2020, publicação divulgada em setembro e realizada pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).

Nela, a Universidade entre as 15 instituições com mais pedidos de patente no Brasil. Os dados são relativos à 2019 e mostram que a Universidade subiu 13 posições quando comparados os dados de pedidos aos registrados em 2018, passando de 25° para 12°, empatada com a UFPR e a Robert Bosch.

Falando a respeito da importância do processo de patenteamento, Priscylla Gondim sublinhou que “a patente é a concretização que seu produto foi eficiente e eficaz, ou seja, que obteve bons resultados e que poder ser replicado e inserido no mercado”. As orientações e explicações a respeito dos aspectos para patentear uma determinada invenção, bem como os demais pedidos de registro intelectual, como marcas e programas de computador, estão sendo realizados via e-mail da Agência de Inovação (Agir).



CLIQUE – PUBLICIDADE

Após a morte de voluntário brasileiro, Anvisa prossegue com os testes da vacina de Oxford

A Anvisa prestou solidariedade à família do voluntário brasileiro, mas não concedeu nenhuma informação mais detalhada sobre a vítima

O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra, admitiu nesta quarta-feira (21) que os testes da vacina de Oxford prosseguem, apesar da morte de um brasileiro que serviu como voluntário do programa. A Anvisa prestou solidariedade à família do voluntário brasileiro, mas não concedeu nenhuma informação mais detalhada sobre a vítima.

Em nota, a Anvisa informou que: “Foram compartilhados com a Agência os dados referentes à investigação realizada pelo Comitê Internacional de Avaliação de Segurança. É importante ressaltar que, com base nos compromissos de confidencialidade ética previstos no protocolo, as agências reguladoras envolvidas recebem dados parciais referentes à investigação realizada por esse comitê, que sugeriu pelo prosseguimento do estudo”.

Um voluntário brasileiro que participava dos testes clínicos da vacina desenvolvida pela Universidade Oxford e pelo laboratório AstraZeneca morreu devido a complicações de covid-19, na última quinta-feira. Não há confirmação se ele recebeu placebo ou uma dose do imunizante.



Sidy´s Publicidade 01

Currais Novos: CERES promoverá Semana Universitária

Veja os detalhes na matéria

O Centro Superior de Ensino do Seridó (CERES) da UFRN vai promover no período de 2 a 6 de novembro mais uma edição da Semana Universitária, que este ano devido a pandemia causada pelo Coronavírus vai acontecer de forma virtual, remotamente.

O evento se consolida com o objetivo de congregar alunos de graduação e pós-graduação, técnicos-administrativos, professores e pesquisadores dos cursos que integram o Campus de Currais Novos bem como demais instituições que apresentem interesse.

O CERES convida toda a comunidade acadêmica e demais interessados para participar deste espaço e debate acadêmico, científico e cultural, seja na modalidade ouvinte ou com apresentação de trabalho.



Sidy´s Publicidade 01

Escola Agrícola da UFRN abre inscrição para 115 vagas de formação técnica a anuncia novo curso de Cozinha

O edital ainda prevê reserva de vagas para alunos egressos de escolas públicas

A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) abriu seleção para 115 vagas em quatro cursos técnicos, que terão aulas iniciadas em dezembro.

Entre eles, são 20 oportunidades no Curso Técnico em Cozinha, que será oferecido pela primeira vez e ofertado na modalidade subsequente, com duração de um ano e meio.

As inscrições gratuitas para os cursos já estão abertas e seguem até o próximo dia 30 de outubro pela internet (aqui). As informações sobre matrícula, datas e requisitos, podem ser consultadas no edital, no site da instituição.

  • Técnico em Agroindústria – 30 vagas
  • Técnico em Agropecuária – 35 vagas
  • Técnico em Aquicultura – 30 vagas
  • Técnico em Cozinha – 20 vagas

A seleção será realizada por meio de análise do desempenho escolar em Língua Portuguesa ou Português e Matemática ou disciplinas equivalentes cursadas no 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio. O edital ainda prevê reserva de vagas para alunos egressos de escolas públicas, por exemplo.

Novo curso

De acordo com a Escola Agrícola, o novo curso de técnico em cozinha faz parte do esforço da escola para contribuir com o fortalecimento de toda a cadeia produtiva de alimentos no Rio Grande do Norte, leva em consideração o desempenho do setor de serviços no estado e a necessidade de profissionais qualificados.

A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) abriu seleção para 115 vagas em quatro cursos técnicos, que terão aulas iniciadas em dezembro. Entre eles, são 20 oportunidades no Curso Técnico em Cozinha, que será oferecido pela primeira vez e ofertado na modalidade subsequente, com duração de um ano e meio.

As inscrições gratuitas para os cursos já estão abertas e seguem até o próximo dia 30 de outubro pela internet (aqui). As informações sobre matrícula, datas e requisitos, podem ser consultadas no edital, no site da instituição.

  • Técnico em Agroindústria – 30 vagas
  • Técnico em Agropecuária – 35 vagas
  • Técnico em Aquicultura – 30 vagas
  • Técnico em Cozinha – 20 vagas

A seleção será realizada por meio de análise do desempenho escolar em Língua Portuguesa ou Português e Matemática ou disciplinas equivalentes cursadas no 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio. O edital ainda prevê reserva de vagas para alunos egressos de escolas públicas, por exemplo.

Novo curso

De acordo com a Escola Agrícola, o novo curso de técnico em cozinha faz parte do esforço da escola para contribuir com o fortalecimento de toda a cadeia produtiva de alimentos no Rio Grande do Norte, leva em consideração o desempenho do setor de serviços no estado e a necessidade de profissionais qualificados.



Gov_estado – PUBLICIDADE

RJ retomará aulas do 3º ano do ensino médio dia 19

O governo disse que está se preparando para substituir esses professores e afirma que aqueles que tiverem que aumentar a carga horária serão devidamente pagos

O governo do estado do Rio de Janeiro anunciou hoje (9) a retomada das aulas presenciais para os estudantes do 3º ano do ensino médio e da fase 4 da educação de jovens e adultos (EJA) da rede estadual de ensino para o dia 19 de outubro. A volta não será obrigatória para os estudantes e o ensino remoto será mantido para aqueles que desejarem.  

Segundo o governo, as demais séries sob responsabilidade do estado, ou seja, do 6º ano do ensino fundamental ao 2º ano do ensino médio, não irão retomar as aulas presenciais este ano. O governo não pretende reprovar nenhum estudante. O ensino infantil e os primeiros anos do ensino fundamental, até o 5º ano, são de responsabilidade de cada um dos municípios.  

As escolas deverão seguir um protocolo de segurança para evitar o contágio pelo novo coronavírus. Os professores com mais de 60 anos e aqueles que declararem ter alguma comorbidade, fazendo parte, portanto, do grupo de risco da doença, não precisarão retomar os trabalhos presenciais. O governo disse, ainda, que está se preparando para substituir esses professores e afirma que aqueles que tiverem que aumentar a carga horária serão devidamente pagos. 

Agência Brasil



PRIMOR – PUBLICIDADE

Escola Estadual em Currais Novos promove workshop de profissões

Uma ação realizada com os alunos do pós ensino médio

A Escola Estadual Capitão Mor Galvão está realizando em Currais Novos o Workshop das Profissões desde a última segunda-feira (28), uma ação realizada com os alunos do pós ensino médio, que estão na universidade.

“Para mostrar para eles que a universidade é um lugar possível de ser alcançado”, é o que afirmou a professora Isis Salvado reponsável pelo projeto quando perguntada sobre o que motivou a ação.



CLIQUE – PUBLICIDADE

Assembleia Legislativa registra 111º aniversário da rede federal de educação

A sessão foi presidida por Ezequiel Ferreira

O deputado estadual Francisco do PT registrou, em pronunciamento na sessão ordinária desta quinta-feira (24), presidida por Ezequiel Ferreira, na Assembleia Legislativa do RN, o 111º aniversário da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (comemorado no dia 23 de setembro). A Rede é reconhecida no Brasil e internacionalmente e conta hoje com mais de 1 milhão de estudantes de todos os níveis e cerca de 80 mil servidores (professores e técnico-administrativos).

O parlamentar destacou a história recente do Instituto Federal no Rio Grande do Norte. “Queria destacar que antes dos governos de Lula e Dilma o Rio Grande do Norte tinha apenas dois campi – o campus central em Natal e um em Mossoró. E havia um decreto, de número 2.208/97, da época de FHC, que proibia a expansão da educação profissional e que só permitia a expansão através de uma parceria. E isso inviabilizava a expansão não só no RN, mas em todo o país”, apontou. O RN conta com 21 Institutos Federais prontos e mais um em construção.



ÓTICA -BANNER PUBLICIDADE

Escola da Assembleia e RH promovem pesquisa para criar calendário acadêmico 2021

Essa integração tem como finalidade ofertar cursos, oficinas, graduações, pós-graduações lato sensu e outras atividades que estejam alinhadas às necessidades de capacitação e qualificação do corpo de colaboradores da ALRN

Em outubro, os servidores do legislativo estadual vão participar da pesquisa de competência construída pela Coordenadoria de Gestão de Pessoas e Escola da Assembleia para identificar as lacunas de competência existentes nos servidores da Assembleia Legislativa do RN. O resultado desse processo irá subsidiar o processo de planejamento do Calendário Acadêmico 2021 da Escola da Assembleia. Essa integração tem como finalidade ofertar cursos, oficinas, graduações, pós-graduações lato sensu e outras atividades que estejam alinhadas às necessidades de capacitação e qualificação do corpo de colaboradores da ALRN.

Os servidores participarão da pesquisa por meio de formulário eletrônico encaminhado por e-mail e/ou WhatsApp e terão uma semana, aproximadamente, para responder. Nesse sentido, os servidores devem apontar quais lacunas observam e desejam que sejam supridas em si.

Ao utilizar o termo “competências”, referimo-nos aos conhecimentos (o que eles sabem), às habilidades, (o que eles sabem fazer) e às atitudes (o que eles são) que os servidores devem dispor para a realização de suas atividades.

Como foi destacado pelo coordenador de Gestão de Pessoas, Thyago Cortez, essa integração tem como finalidade ofertar cursos, oficinas, graduações, pós-graduações lato sensu e outras atividades que estejam alinhados às necessidades de capacitação e qualificação do corpo de colaboradores da ALRN.

Por fim, é importante destacar que reconhecer as lacunas de competência apresenta-se como uma ótima oportunidade para ampliar a eficiência, a eficácia e a efetividade de sua unidade, auxiliando a Instituição a atingir seus objetivos estratégicos.



Gov_estado – PUBLICIDADE