Política de cotas nas universidades poderá ser estendida por mais 10 anos

A Política de Cotas foi criada em 2012

Com validade até 2022, a Lei de Cotas (Lei 12.711/2012) poderá ser estendida por mais dez anos. É o que estabelece o projeto de lei (PL 4.656/2020) do senador Paulo Paim (PT-RS).

A Política de Cotas foi criada em 2012 e permitiu que pobres, negros, indígenas e pessoas com deficiência entrassem na universidade pública. Considerada um instrumento de inclusão social, o senador Paim defende a continuidade da política de cotas, com revisão em dez anos para efetuar ajustes necessários.

Agência Senado



Governo do RN garante segurança na aplicação das provas do Enem

As provas serão aplicadas em 40 municípios da região Metropolitana e do interior do estado

O Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED), está realizando a Operação Enem, que ocorre em duas etapas: a primeira neste domingo (17) e a segunda no domingo próximo, dia 24 de janeiro. Ao todo, estão sendo empregados 1.800 policiais militares para garantir a segurança na aplicação das provas.

As provas serão aplicadas em 40 municípios da região Metropolitana e do interior do estado. Em escala extraordinária, os policiais militares estarão presentes nos 358 locais de prova, não havendo qualquer prejuízo para o policiamento normal.

Para o comandante da Operação Enem 2021, coronel PM Castelo Branco, o emprego dos policiais militares irá garantir a ordem e a segurança de estudantes e funcionários, como também, no apoio ao deslocamento dos malotes com as provas, possibilitando desta forma, a obtenção da qualidade necessária para o êxito na realização das provas.



UEPB anuncia Processo Seletivo para professor

Ao obter a contratação, o regime de trabalho semanal do docente será de 20 a 40 horas referente à remuneração de R$ 1.718,99 a R$ 3.437,98

A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) torna pública a realização de um novo Processo Seletivo destinado ao preenchimento de vagas para o cargo de professor substituto, que deve atuar no Centro de Ciências Humanas e Exatas do Campus VI – Poeta Pinto do Monteiro.

Há uma vaga disponível para o docente da área de sociologia e filosofia da educação; metodologia científica; educação e direitos humanos.Para participar, o candidato deve apresentar escolaridade de nível superior em ciências sociais ou filosofia. Ao obter a contratação, o regime de trabalho semanal do docente será de 20 a 40 horas referente à remuneração de R$ 1.718,99 a R$ 3.437,98.

Inscrição

Os interessados devem realizar as inscrições no período de 2 a 17 de fevereiro de 2021, exclusivamente via internet, por meio do seguinte endereço eletrônico: [email protected]. O valor da taxa de inscrição é de R$ 50,00.

Seleção

Como forma de seleção, os candidatos serão avaliados mediante a aplicação de prova didática, de caráter eliminatório e prova de títulos, de caráter classificatório. As provas estão previstas para serem realizadas nos dias 23 e 27 de fevereiro de 2021, na sala virtual, cujo link será enviado posteriormente para o e- mail informado pelo candidato em sua ficha de inscrição.

Vigência

De acordo com o documento oficial, este Processo Seletivo terá validade de 24 improrrogáveis, a partir da publicação do seu resultado final.



Enem 2020: veja 27 dicas para se preparar para a prova em meio à pandemia

O Enem 2020 está, finalmente, chegando — e, em volta dele, pairam novas dúvidas e inseguranças, além das que os candidatos normalmente já têm nos vestibulares, depois de um ano com tantas dificuldades para estudar por conta da pandemia.

Por isso, o EXTRA preparou um guia com 27 dicas para ajudar você a se preparar na última semana. Com ele, o estudante consegue saber o que fazer a poucos dias do teste, o que mudou na prova por causa da Covid-19 e até como e quando poderá usar a nota do Enem para entrar em uma universidade.

Depois do próximo domingo, o segundo dia do Enem será realizado em 24 de janeiro. Essas são as datas da versão impressa. Neste ano, quase 100 mil pessoas se inscreveram para fazer uma versão digital da prova, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

O exame, que normalmente é feito no fim do ano, foi adiado para janeiro por conta da Covid-19. No entanto, ele será realizado num momento em que o Brasil enfrenta uma alta de casos, hospitalizações e mortes, pouco depois das festas de fim ano, que geraram diversas cenas de aglomerações pelo Brasil.

Por isso, estudantes chegaram a fazer uma campanha pelas redes sociais pedindo novo adiamento. No entanto, o Ministério da Educação não cogita essa possibilidade a poucos dias da prova.

PREPARAÇÃO A UMA SEMANA – ESTUDE

  1. Monte um cronograma para a última semana.

O coordenador pedagógico do colégio Mopi (RJ) Luiz Rafael Silva aconselha que o aluno crie seu próprio cronograma, que inclua estudos e descanso. “Isso fará o estudante ter uma visão real do seu dia, de seu tempo livre e também de seus limites, podendo, assim, modificar o cronograma caso ache que possa melhorar. Ter o domínio de sua organização é habilidade fundamental para enfrentar provas longas, como o Enem”, explica.

2 – Hora da revisão

Silva afirma que, para montar um cronograma nessa reta final, é necessário focar na revisão de conteúdos. Para isso, crie objetivos de estudo, com metas simples e periódicas que serão distribuídas ao longo do tempo. “Ao realizar cada meta, o estudante ficará estimulado a continuar com o ritmo de estudos, evitando sair do foco para atingir seus objetivos”, diz.

3 – Recuperar o que ficou para trás

O professor Tássio Leonardo, coordenador acadêmico do Colégio e Curso AZ, diz que a revisão é o momento de entender o que ficou alguma dúvida. “É preciso identificar os conteúdos que por algum motivo tenham deixado dúvidas ou o aluno não conseguiu ver com profundidade durante o ano. Não deixe nada para trás”, aconselha.

4 – Foco nas dificuldades e no que sempre cai

Nesse momento, não é possível estudar a matéria toda. Portanto, Leonardo aconselha focar em duas prioridades: atuar nas dificuldades do aluno e o máximo os assuntos mais reincidentes nos últimos exames. “Mapas mentais, resumos e formulários são ótimos aliados nessa preparação final”, diz.

5 – Esteja bem informado

É importante, diz o professor do AZ, estar antenado e por dentro de temas e discussões atuais para poder acumular conteúdo e ter possibilidade de desenvolver argumentação e ter referências para produção do texto. “Além disso, é claro, seguir praticando a redação e prestando atenção à correção dos professores e nos pontos onde pode melhorar”, afirma.

6 – Enfrente a Matemática

Segundo Tássio Leonardo, essa é uma disciplina que tem muito peso na nota e se torna decisiva para muitas carreiras concorridas, como Medicina, Direito e Engenharia. “É hora de se preparar e não abandonar a matemática e sim enfrentá-la, buscando estudar os conteúdos mais incidentes e tirando as dúvidas que ainda persistem”, diz.

7 – Não se pressione

A consultora pedagógica do Laboratório Inteligência de Vida (LIV), Clarisse Andrade, afirma que cada estudante deve entender o que é melhor para si. “Alguns ainda vão querer e poder estudar mais alguns pontos. Outros já chegaram a um limite e já não conseguem absorver mais conteúdo. Tudo bem, revisar agora pode ser importante, mas uma rotina com menos pressão pode ser mais indicado”, afirma.

8 – Não deixe de descansar

Os que decidirem manter uma rotina de estudo não precisam, neste momento, dividir o tempo em 50% da carga de estudos e 50% de ócio criativo, sugere Luiz Rafael Silva, do Mopi.

PREPARAÇÃO A UMA SEMANA – RELAXE

9 – Mantenha a cabeça no lugar

Clarisse Andrade, do LIV, afirma que é preciso reconhecer a ansiedade e a angústia do momento e legitimar esses sentimentos tomando cuidado para que eles não ganhem uma proporção maior. Já Leandro Vieira afirma que o controle mental ocorre ao perceber que existem outras possibilidades em nossa vida além da prova.

10 – Busque atividades prazerosa

O coordenador pedagógico do ProEnem, Leandro Vieira, afirma que é preciso praticar atividades físicas, experimentar meditação e terapia. “Focar em momentos de prazer é fundamental. A liberação de endorfina acarreta em uma sensação prazerosa”, afirma.

11 – Esteja com quem gosta de você:

Busque apoio dos seus pais, amigos e parentes, eles são fundamentais para você sentir-se acolhido e consequentemente ter confiança para a realização de um bom exame. E mantenha uma rotina. Ela gera um sentimento de realização, uma percepção de que estamos conseguindo realizar as demandas geradas, diz Veira.

PREPARAÇÃO PARA A VÉSPERA

12 – Durma bem

Clarisse Andrade, consultora pedagógica do LIV, afirma que ter uma boa noite de sono na véspera da prova é fundamental. “Evite o uso de aparelhos eletrônicos e situações estressantes que possam atrapalhar o sono e gerar distrações. Assim, é possível diminuir a ansiedade e ter um equilíbrio emocional melhor para o dia da prova”, afirma.

13 – Organize seus materiais

Andrade aconselha ainda a preparar uma listinha de tudo que vai precisar na prova como caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente (só pode ser essa), máscara, lanche, álcool gel, água e um documento de identificação com foto (pode ser carteira de identidade ou de motorista, por exemplo).

14 -Nem adianta pegar…

O edital do Inep proíbe o uso de óculos escuros e artigos de chapelaria (como bonés ou gorros), caneta de material não transparente, lápis, lapiseira, borrachas, réguas, corretivos, livros, anotações, protetor auricular, relógio de qualquer tipo, e quaisquer dispositivos eletrônicos.

15 – Separe seu cartão de confirmação

Imprima ou baixe no aplicativo do Enem o seu cartão de confirmação. Ele contém o local de aplicação da prova. Não é obrigatório apresentá-lo na hora da prova, mas é bom estar com ele.

NO DIA DA PROVA: MUDANÇAS NA PANDEMIA

16 – Escolha bem o que comer

Leandro Vieira, coordenador do ProEnem, recomenda alimentar-se de maneira adequada antes da prova. Ele afirma que isso promove bem-estar, acelerando metabolismo e gerando mais energia para o estudo e consequentemente a melhora da preparação.

17 – Não se esqueça da máscara

Sem ela, você não poderá nem entrar no local da prova. É preciso estar com ela o tempo todo. O uso inadequado do equipamento poderá levar à eliminação do candidato. É liberado levar mais de uma para a troca.

18 – Escolha uma máscara adequada

O físico Victor Mori, da rede Observatório Covid-19, recomenda o uso da máscara PFF2. Antes do dia da prova, pode ser interessante usá-la em casa para ir se acostumando ao equipamento — afinal, serão até seis horas com ela. Caso não seja acessível ao candidato, Mori diz que outras podem ser usadas, mas ressalta que é importante que elas sejam bem fechadas no rosto. “Quanto mais vedada, mais protege. Sugiro usar esparadrapo para vedar os lados”, diz.

19 – Comer e beber em sala

O candidato está liberado a retirar a máscara para comer e beber dentro da sala, mas deve recolocá-la imediatamente. No entanto, Victor Mori recomenda evitar comer para não precisar retirar a máscara. “Tirá-la por alguns segundos para tomar água, tudo bem. Sugiro aquelas garrafas com canudo. Ela facilita para retirar a máscara o mínimo possível”, explica Mori.

20 – Medidas de distanciamento

O Inep diz que haverá distanciamento dentro das salas com o uso de apenas metade da capacidade das salas. É importante também evitar aglomerações na entrada, como tradicionalmente acontece todos os anos do Enem. Em 2021, no entanto, isso pode gerar contaminações por Covid-19.

21 – Cuidado com a hora

Os portões dos locais de aplicação abrem às 12h e se fecham pontualmente às 13h. Não deixar para a última hora pode evitar aglomerações.

ESTOU DOENTE. E AGORA?

22 – Estou passando mal há poucos dias da prova. O que fazer?

O Inep orienta que alunos doentes não façam a prova. Eles poderão pedir para fazer o Enem em outra data. Para isso, você deve procurar um serviço de saúde e pedir um laudo, que deve ser legível e atestar a doença. O candidato, então, precisa tirar uma foto do laudo ou escaneá-lo para anexá-lo na Página do Participante (www.enem.inep.gov.br/participante). Se passar mal no dia da prova, também é preciso ligar para 0800 616161 e informar a condição.

23 – Teste não é necessário

Basta o laudo médico, que deve constar nome completo do participante, diagnóstico com a descrição da condição, o código correspondente à Classificação Internacional de Doença, além da assinatura e da identificação do profissional, com o registro do Conselho Regional de Medicina. A reaplicação será nos dias 24 e 25 de fevereiro.

24 – Estou com Covid-19 hoje. Posso fazer a prova?

A microbiologista Laura de Freitas, da USP, afirma que o ideal é aguardar de 10 a 14 dias após o aparecimento dos sintomas para ter garantia de que você não está mais transmitindo. Então, se os seus sintomas começaram depois de 6 de janeiro, quarta-feira passada, você não poderá fazer a prova por estar transmitindo o vírus e deverá pedir a reaplicação do exame para fevereiro.

SISU, PROUNI E FIES: O QUE MUDOU NESSE ANO?

25 – Sisu – Sistema de Seleção Unificada

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) acontecerá apenas em abril. Esse é o processo pelo qual os alunos tentam suas vagas nas universidades federais.



Prazo para se inscrever no Vestibular EaD 2021/1 da UFRN encerra nesta segunda (11); Currais Novos apresenta vagas

A taxa custa R$ 30

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebe até hoje, 11 de janeiro, as inscrições para o Vestibular 2021/1 de cursos via Ensino a Distância (EaD). A taxa custa R$ 30.

Inscreva-se Vestibular EaD 2021/1 UFRN

Solicitações de isenção de taxa de inscrição puderam ser feitas até o dia 03 de janeiro. Para participar, foi necessário estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) ou ter baixa renda.

Os interessados precisaram enviar a documentação comprobatória listada nos editais. A relação de candidatos contemplados com a isenção pode ser vista aqui!

Vestibular

Para se inscrever no processo seletivo é necessário ter certificado de conclusão do ensino médio ou ser professor da rede pública de ensino. Veja abaixo como funcionará cada seleção:

Candidatos com certificado

Esses vestibulandos serão selecionados por meio das notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) das edições de 2017 a 2019. Para isso, é necessário ter média igual ou superior a 300 pontos na prova objetiva e nota diferente de zero na redação



Datas do Enem devem ser mantidas, diz Inep

O Enem 2020 será aplicado na versão impressa nos dias 17 e 24 de janeiro e, na versão digital, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, disse hoje (7) que o cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deve ser mantido e que as provas não serão adiadas por causa da pandemia do novo coronavírus.

“Nós nos preparamos para fazer uma prova em ambiente de pandemia”, afirmou Lopes. “Temos a segurança [de] que a prova deve ser feita e que as condições de aplicação são adequadas, são as que precisam ser tomadas.” Ele ainda explicou que foram adotadas as medidas necessárias para a aplicação das provas. 

Ele destacou o papel do Enem para o acesso de estudantes ao ensino superior e a estrutura de organização do Inep, que considera capaz de oferecer um ambiente seguro de aplicação do teste. “Há universidades que estão usando exclusivamente a nota do Enem como meio de acesso ao ensino superior, e isso é importante porque, em vez de o aluno sair de casa para fazer várias provas, ele sai para fazer o Enem. Dada a nossa capacidade de organização e o tamanho do Enem –  são 5,8 milhões de pessoas inscritas este ano –, temos condições de oferecer um ambiente seguro de prova que, eventualmente, uma faculdade menor não conseguiria”, enfatizou. 

O número de casos e de mortes por covid-19 vem aumentando no Brasil. De acordo com o Ministério da Sáude, ontem (6) foram notificadas 1.242 novas mortes. Foi o maior número diário desde 25 de agosto, quando foram registrados 1.271 óbitos. Ainda há 2.552 mortes em investigação. Até o momento, o Brasil contabiliza 198,9 mil mortes e 7,87 milhões de casos. 

Nesse cenário, nas redes sociais, ganhou força o movimento #AdiaEnem, compartilhado por professores, estudantes, parlamentares e outros apoiadores. “#AdiaEnem é defender a vida das pessoas. O Brasil está se aproximando das 200 mil mortes pelo novo coronavírus. Não se pode brincar com a vida dos estudantes e de seus familiares”, diz, em publicação no Twitter, a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes).

O exame, que estava inicialmente agendado para outubro e novembro do ano passado, foi adiado após uma série de protestos virtuais.

O Inep anunciou, então, diversas medidas para evitar a contaminação pelo novo coronavírus, aumentando a quantidade de locais de prova e reduzindo o número de estudantes por sala, para garantir o distanciamento entre os participantes. Durante todo o tempo de realização da prova, os candidatos estarão obrigados a usar máscaras de proteção da forma correta, tapando o nariz e a boca, sob pena de serem eliminados do exame. Além disso, o álcool em gel estará disponível em todos os locais de aplicação.

Além disso, quem for diagnosticado com covid-19, ou apresentar sintomas desta ou de outras doenças infectocontagiosas até a data do exame, não deverá comparecer ao local de prova e sim entrar em contato com o Inep pela Página do Participante, ou pelo telefone 0800-616161, e terá direito a fazer a prova na data de reaplicação do Enem, nos dias 23 e 24 de fevereiro.

O Enem 2020 será aplicado na versão impressa nos dias 17 e 24 de janeiro e, na versão digital, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.



MEC homologa novas diretrizes para educação profissional e tecnológica

A versão anterior, que é de 2014, apresenta uma relação de 227 cursos, também divididos em 13 eixos

O Ministério da Educação (MEC) homologou as novas diretrizes curriculares nacionais (DCN) para a educação profissional e tecnológica (EPT). Aprovado em novembro, o documento orienta os sistemas e as instituições de ensino públicas e privadas que ofertam cursos da modalidade em todos os níveis.

A portaria com as novas diretrizes foi publicada no Diário Oficial da União na segunda-feira (4).

As novas diretrizes substituem dois documentos que se referiam a cursos de EPT em níveis distintos. O novo documento aborda desde cursos de qualificação profissional, passando pela formação técnica de nível médio, até chegar os cursos tecnológicos de graduação e pós-graduação, no planejamento, no desenvolvimento e na avaliação da EPT, presencial e a distância.

De acordo com o parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE) que aprovou as novas diretrizes, a revisão do documento foi necessária em razão das mudanças trazidas pela Lei nº 13.415/2017, que alterou a Lei de Diretrizes e Bases (LDB).

As alterações flexibilizaram a organização curricular do ensino médio “por itinerários formativos, que deverão ser organizados por meio da oferta de diferentes arranjos curriculares, conforme a relevância para o contexto local e a possibilidade dos sistemas de ensino”, inclusive por meio de um itinerário dedicado à formação técnica e profissional.

No caso da EPT, a perspectiva dos itinerários formativos ocorre de acordo com os eixos tecnológicos em que se subdividem os cursos. Dos 13 eixos existentes, os que atualmente reúnem mais matrículas em cursos técnicos são: ambiente e saúde; gestão e negócios; controle e processos industriais; informação e comunicação.

O parecer diz ainda que as alterações ocorreram em razão da necessidade de se alinhar às demandas dos setores produtivos e também para responder adequadamente aos atuais desafios apresentados às instituições e sistemas de ensino do país, em especial, quanto à oferta de novas alternativas de profissionalização dos novos trabalhadores.

Em novembro, o CNE também havia aprovado as alterações no Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. Instrumento que serve de referência para instituições e redes de ensino para a oferta de cursos técnicos, o catálogo inclui todos os cursos reconhecidos pelo MEC e também especifica as necessidades de aprendizado para cada área.

A versão atual, finalizada após consulta pública, registra 215 cursos distribuídos em 13 eixos tecnológicos, com informações sobre perfil profissional dos egressos, campos de atuação, carga horária e legislações profissionais correlatas, entre outros.

A versão anterior, que é de 2014, apresenta uma relação de 227 cursos, também divididos em 13 eixos.



MEC publica normas para a volta às aulas presenciais as instituições

As aulas presenciais deverão ocorrer a partir de 1º de março de 2021, observando-se os protocolos de segurança para o enfrentamento da pandemia de Covid-19

O Ministério da Educação publicou portaria que trata sobre o retorno às aulas presenciais nas Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e Instituições Privadas de Ensino Superior. As aulas presenciais deverão ocorrer a partir de 1º de março de 2021, observando-se os protocolos de segurança para o enfrentamento da pandemia de Covid-19. 

A portaria  também prevê que vão poder  ser utilizados, em caráter excepcional, recursos educacionais digitais a fim de garantir o atendimento escolar essencial durante o período em que houver restrições quanto à presença física de estudantes na unidade educacional para a integralização da carga horária dos componentes curriculares. 

Essa utilização poderá ocorrer de forma complementar, desde que haja orientação do Ministério da Saúde ou órgãos de saúde locais que não recomendem a forma presencial para a realização de aulas, ou de forma integral, para os cursos que ainda não tenham encerrado as atividades letivas referentes ao ano de 2020.

Outras informações no site mec.gov.br



Oportunidade: projeto INSIDE abre processo seletivo para pesquisador convidado

O cargo oferece remuneração e R$ 2,5 mil, com carga horária semanal de 30h

O projeto Integração, Análise e Visualização de Dados para Suporte à Investigações Criminais (INSIDE), executado pelo Instituto Metrópole Digital (IMD/ (UFRN), está com processo seletivo aberto para contratação de pesquisador convidado a nível de especialista em TI.

O período de inscrições segue aberto até o dia 10 de janeiro de 2021. Para efetuar o cadastro, o interessado deve preencher o formulário presente neste link e anexar a ele, em PDF, a documentação exigida no edital.

A proposta de emprego abrange atividades de pesquisa e desenvolvimento de métodos e soluções no contexto de investigação criminal, usando Big Data para auxiliar o Ministério Público.

Regida pelo Edital nº 096/2020, a seleção disponibiliza uma vaga. O cargo oferece remuneração e R$ 2,5 mil, com carga horária semanal de 30h.

Processo Seletivo

O processo seletivo consiste em análise de currículo e entrevista com o candidato, ambas de caráter eliminatório e classificatório.

É exigido dos candidatos, no mínimo, pós-graduação no nível de especialização, na área de Computação ou em áreas afins. Além disso, é necessário possuir experiência com a metodologia DevOps. Conhecimentos com C#, SQL Server, Docker, Gitlab também são desejáveis.

A partir do dia 13 de janeiro de 2021, o resultado final estará disponível no site do INSIDE.



Governo do RN convoca 1.336 professores para a rede estadual de ensino

A lista com todos os profissionais convocados será publicada na edição ordinária desta quinta-feira (31), do Diário Oficial do Estado (DOE)

“Neste momento, vemos como o Governo está comprometido com a Educação do Rio Grande do Norte”. A frase é da governadora Fátima Bezerra e refere-se à convocação de novos 1.336 educadores para a rede pública estadual de ensino, em uma solenidade nesta quarta-feira (30), no auditório da Governadoria, em Natal. A lista com todos os profissionais convocados será publicada na edição ordinária desta quinta-feira (31), do Diário Oficial do Estado (DOE).

Do total de profissionais que serão nomeados amanhã, 593 serão efetivos e 743 temporários. Os professores temporários substituirão educadores afastados por motivo de doença, como, por exemplo, aqueles acometidos pela COVID-19, licença para estudo e nos casos em que o professor titular assume função de direção, deixando a vaga em sala de aula.

A governadora expressou claramente sua vontade de convocar muitos outros professores para compor o quadro de docentes do Estado. Mas, o desejo esbarra em impedimentos legais. “Não é falta de vontade, nem de prioridade, mas, infelizmente a legislação não nos permite”, pontuou.

O secretário de Educação e Cultura do RN, Getúlio Marques, disse que “ainda não conseguimos levar a nossa educação aonde queríamos. Mas, este será nosso desafio em 2021”. Getúlio também falou sobre a importância de valorização dos professores. “Sem professores não chegamos a lugar nenhum”. Porém, após um entendimento com o Ministério Público, a chefe do Executivo estadual anunciou que o calendário letivo de 2021 está previsto para iniciar em 1º de fevereiro de 2021.

A governadora ainda adiantou que, até o fim de janeiro do próximo ano, o governo pretende anunciar um grande investimento na área da Educação. Serão mais de R$ 260 milhões em áreas como a Educação de Jovens e Adultos (EJA), 12 novos centros de formação técnica, entre outros.