Seridó: Caicó tem 126 casos confirmados da Covid-19

A SMS reforça a importância das medidas preventivas, como distanciamento social, etiqueta respiratória, higienização das mãos

Segundo a Nota Oficial são:

119- Mulher de 51 anos, residente no bairro Walfredo Gurgel, TR, em isolamento domiciliar.
120- Homem de 18 anos, residente no bairro Vila Altiva, TR, em isolamento domiciliar.
121- Mulher de 57 anos, residente no bairro Paraíba, TR particular, em isolamento domiciliar.
122- Homem de 48 anos, residente no bairro Barra nova,TR, em isolamento domiciliar.
123- Homem de 48 anos, residente no bairro Centro, TR, em isolamento domiciliar.
124- Mulher de 41 anos residente no bairro Alto da boa vista, TR particular, em isolamento domiciliar.
125- Mulher de 40 anos, residente no bairro Paraíba, TR, em isolamento domiciliar.
126- Mulher de 45 anos, residente no bairro Paraíba, TR, em isolamento domiciliar.


A SMS reforça a importância das medidas preventivas, como distanciamento social, etiqueta respiratória, higienização das mãos e uso de máscara quando precisar sair de casa, se puder ficar em casa fique, precisamos da compreensão de todos.



ÓTICA -BANNER PUBLICIDADE

Hospital Regional do Seridó começa a oferecer exames de tomografia nesta segunda

O Centro de Imagens HRS está pronto, com as equipes treinadas e protocolos montados

Nesta segunda-feira (08), o Hospital Regional do Seridó começa a oferecer os exames de tomografia na referida unidade hospitalar. O Centro de Imagens HRS está pronto, com as equipes treinadas e protocolos montados, serviços avisados dos fluxos, Núcleo Interno de Regulação preparado e alinhado com a Central Estadual.



Midia SL

Rio Grande do Norte soma 431 óbitos por Covid-19; taxa de isolamento no estado melhor

A região Oeste apresenta um índice de 97,8%, enquando na região Seridó, a ocupação está em 66,7%

O Rio Grande do Norte apresentou melhora nas taxas de isolamento social, de acordo com a atualização da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) nesta segunda-feira (8). O índice atual é de 49,6%. O número de óbitos em decorrência da Covid-19 chegou a 431 (dois novos nas últimas 24h). Os casos confirmados da doença somam 10.888.

No RN, 104 óbitos estão em investigação. Há 664 pessoas internadas com confirmação ou suspeita da doença, das quais 340 estão em leitos clínicos e 324 em leitos clínicos. A ocupação dos leitos destinados a tratar a Covid-19 no estado permanece alta. Pau dos Ferros e Grande Natal não têm vagas disponíveis. A região Oeste apresenta um índice de 97,8%, enquando na região Seridó, a ocupação está em 66,7%



Midia SL

Rio Grande do Norte tem mais de 400 mortos por Covid-19; “quase colapso”, diz secretário

No rol das superlaotações, o número de pacientes à espera de regulação também é alto. São 50 pessoas classificadas como prioridades I e II, ou seja, apresentam quadro clínico grave

O Rio Grande do Norte registrou 23 novos óbitos por Covid-19, e soma 410 mortes, de acordo com os dados da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), divulgados neste sábado (6). Deste total, 8 ocorreram nas últimas 24h. Ainda segundo a Sesap, são 9.449 casos confirmados da doença, 18.841 suspeitos, além de 16.733 descartados.

No estado, há 63 mortes em investigação em decorrência da infecção. A taxa de isolamento permanece baixa e caiu para 39,6%. O secretário-adjunto da Sesap, Petrônio Spinelli, esclarece que este é um fator que contribui para o aumento da disseminação da doença.

Em todo o RN, há 655 pessoas internadas com confirmação ou suspeita de Covid-19, das quais 338 apresentam quadro clínico grave. O estado já confirma superlotação na maioria dos leitos disponíveis para tratamento da doença. Em Pau dos Ferros e na Região Oeste, não existem mais vagas; na Grande Natal, 99% dos leitos estão cupados; a situação é menos dramática na região Seridó, onde a taxa de ocupação está em 59,1%.

No rol das superlaotações, o número de pacientes à espera de regulação também é alto. São 50 pessoas classificadas como prioridades I e II, ou seja, apresentam quadro clínico grave. Outras 76, com quadros mais leves, também estão na fila por internação



ÓTICA -BANNER PUBLICIDADE

Rio Grande do Norte aumenta em 200% uso de anestésicos e betabloqueadores

A informação é do jornal Estadão

Além da dificuldade de ampliar o número de leitos de UTI e respiradores, Estados brasileiros enfrentam agora a falta de sedativos e relaxantes musculares usados na entubação de pacientes graves com Covid-19. Sem esses remédios, a ventilação mecânica não pode ser feita de forma adequada e o paciente corre maior risco de morrer. No Rio Grande do Norte, por exemplo, o aumento na utilização de anestésicos e betabloqueadores foi de 200%. A informação é do Estadão.

Segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), todas as secretarias estaduais relataram à entidade ter um ou mais medicamentos dessa classe em falta ou com estoque crítico. Já há investigações abertas em ao menos dois Estados (Rio e Amapá) para apurar óbitos de pacientes que não tiveram acesso a essas medicações. 

Segundo médicos e gestores ouvidos pelo Estadão, a situação deve-se principalmente à crescente procura por esses medicamentos por causa do alto número de doentes que precisam ser entubados e do período prolongado de internação desses pacientes em UTIs. “É um uso prolongado e geralmente é usada uma combinação de drogas de acordo com a gravidade e o objetivo. Todos ficaram falando do risco de colapso por falta de leito, mas agora temos o risco da falta desses medicamentos essenciais para a sobrevivência do paciente”, destaca Ederlon Rezende, membro do conselho consultivo da Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

Com a alta inesperada na demanda, dificuldade de importação de matérias-primas e alta do dólar, o mercado nacional não estaria conseguindo suprir a procura, dizem gestores. Secretarias da Saúde consultadas pelo Estadão informaram alta de mais de 700% na utilização desses medicamentos desde o início da pandemia. Em Alagoas, o número de doses utilizadas do relaxante muscular rocurônio subiu 787%. No Rio Grande do Norte, o aumento na utilização de anestésicos e betabloqueadores foi de 200%. No Pará, a alta foi de 100%.

O rocurônio é o que reúne o maior número de queixas de problemas no abastecimento. Levantamento feito pelo Conass com todas as secretarias da Saúde revelou que, das 25 pastas que responderam ao questionário, 24 têm problemas no abastecimento do item. Os números foram apresentados nesta quarta-feira, 3, em reunião de comissão da Câmara dos Deputados.

Presente no encontro, um representante no Conass relatou que o órgão mandou ofício para o Ministério da Saúde no dia 14 de maio solicitando auxílio do governo federal aos Estados na relação com fornecedores. O problema foi tema de novo ofício, enviado no dia 29. Hoje, a maioria desses medicamentos é comprada diretamente pelos Estados e municípios ou pelos hospitais, mas as secretarias avaliam que uma intervenção do ministério junto à Anvisa e aos fabricantes pode facilitar a compra. Questionado, o ministério não respondeu. Ao Conass, prometeu auxiliar na negociação com fornecedores.

Também presente na reunião, o presidente do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêutico (Sindusfarma), Nelson Mussolini, disse que laboratórios estão trabalhando em máxima capacidade para dar conta da demanda e agora a produção está normalizada. “Tivemos problema quando houve lockdown na Índia e estamos tendo dificuldades com frete internacional. O número de voos foi reduzido e o preço subiu. Antes pagávamos US$ 2 por quilo transportado e agora, US$ 15.”

Rio e Macapá têm hospitais investigados

Ao menos dois hospitais de referência para tratamento de covid-19 no País são investigados por suspeita de que a morte de alguns pacientes tenha sido causada pela falta de medicamentos utilizados na entubação.

No Rio, a Defensoria Pública abriu ação para apurar os óbitos de sete pacientes em maio no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla por suposta falta de sedativos e anestésicos.

“A prefeitura admite dificuldades no abastecimento, mas nega que tenha havido falta a ponto de pacientes ficarem sem. De qualquer forma, continuamos a investigação e solicitamos fiscalizações aos conselhos de medicina e de farmácia”, diz a defensora Alessandra Nascimento, subcoordenadora da coordenação de saúde e tutela coletiva da Defensoria.

Também em maio, o enfermeiro Evandro Costa, de 42 anos, morreu por covid-19 após a Unidade Centro Covid 1, em Macapá, afirmar que não conseguiria fazer sua entubação por falta das medicações necessárias. Segundo Amerson da Costa Maramalde, advogado que representa a família do enfermeiro, profissionais de saúde que eram amigos do paciente chegaram a fazer uma mobilização para encontrar os medicamentos que permitiriam a entubação de Evandro, mas, quando conseguiram, o enfermeiro já estava morto.

A Secretaria Municipal da Saúde do Rio informou que abriu sindicância para apurar os fatos no Hospital Ronaldo Gazolla e que o procedimento corre em sigilo até a sua conclusão. A pasta confirmou a dificuldade na aquisição dos medicamentos e diz estar fazendo “constantes remanejamentos dos estoques, conforme necessidade para atender as unidades com maior demanda”. A fentanila, por exemplo, está sendo substituída por outros medicamentos com as mesmas funções, “uma vez que não há atualmente no mercado fornecedores com disponibilidade para venda e entrega do produto”. A Secretaria Estadual da Saúde do Amapá não respondeu aos questionamentos da reportagem



ÓTICA -BANNER PUBLICIDADE

Motoristas de ambulância do Rio Grande Norte indicam paralisação de atividades na sexta

De acordo com o Sinconam, o estado possui 6 mil motoristas de ambulância e todos estão “expostos” ao coronavírus, devido as condições disponibilizada para o trabalho

O Sindicato dos Condutores de Ambulância do Rio Grande do Norte (Sinconam) decidiram em assembleia que irão paralisar suas atividades nesta sexta-feira (5). Falta de comunicação com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), junto com problemas estruturais e de segurança para a saúde dos profissionais, são alguns dos fatores alegados pela categoria como motivos da greve.

De acordo com o Sinconam, o estado possui 6 mil motoristas de ambulância e todos estão “expostos” ao coronavírus, devido as condições disponibilizada para o trabalho. Entre as reivindicações da categoria, uma reunião com a governadora Fátima Bezerra (PT) é exigida, pois conforme divulgado em nota, o sindicato não consegue contato com o secretário de Saúde Pública do Estado, Cipriano Maia.

Outras exigências são: testagem dos condutores de ambulâncias do Samu, para Covid-19; disposição de equipamento de proteção individual no combate ao coronavírus para todos os profissionais no plantão e que os condutores não precisem lavar suas ambulâncias, para não correr riscos de contágio.



Midia SL

Rio Grande do Norte registra 26 novos óbitos e mais de 900 casos de Covid-19 nas última horas

Segundo a Sesap, são 594 pessoas internadas no RN em função da doença, das quais, 293 estão em leitos críticos

O Rio Grande do Norte registrou 26 novos óbitos em decorrência de Covid-19, dos quais 7 ocorreram nas últimas 24h, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) e soma agora 367 mortes. Os dados apontam ainda que há 9.148 casos confirmados da infecção, o que equivale a 915 novos registros (na atualização desta segunda eram 8.233). Suspeitos são 19.659 e descartados, 16.013. Há 69 mortes em investigação.

Segundo a Sesap, são 594 pessoas internadas no RN em função da doença, das quais, 293 estão em leitos críticos. A taxa de isolamento social está em 41%. O secretário-adjunto da pasta, Petrônio Spinelli, disse que a situação no estado continua dramática e renovou o apelo para que haja união frente às medidas de enfrentamento à doença.

Leitos

A taxa de ocupação de leitos críticos em todo o RN está distritribuída da seguinte maneira:

  • Mossoró: 100%
  • Alto Oeste: 100%
  • Natal: 97%
  • Seridó: 45,5%

Pacto Pela Vida

A Operação Pacto Pela Vida começa nesta quinta-feira (4), com o objetivo de fiscalizar se as regras de isolamento social determinadas em decreto pelo Governo do Estado estão sendo cumpridas. A Operação será comanda pela Polícia Militar, com apoio de outras corporações, como o Corpo de Bombeiros.



Publicidade Ismael 02

Medalhista olímpica, potiguar Virna testa positivo para Covid-19

O isolamento não impedirá Virna de realizar hoje (1º de junho), às 21h, uma live (tranmissão ao vivo) no Instagram, com a cubana Mireya Luis

A ex-jogadora da seleção brasileira de vôlei Virna Piovezan testou positivo para o novo coronavírus (covid-19). A informação foi dada pela ex-atleta, que publicou um um vídeo em sua conta do Instagram ontem (31). A medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Atlanta (1996) e Sidney (2000) esclareceu que pertence ao grupo dos assintomáticos e já iniciou o período de isolamento..

O isolamento não impedirá Virna de realizar hoje (1º de junho), às 21h, uma live (tranmissão ao vivo) no Instagram, com a cubana Mireya Luis. Ambas defenderam  suas respectivas seleções no anos de 1990, quando Brasil e Cuba protagonizavam uma das maiores rivalidades do esporte.



GORVERNO 01 – POST

Brasil passa de meio milhão de casos confirmados por Coronavírus

O Brasil é o segundo país no mundo com o maior número de casos confirmados da doença, atrás dos Estados Unidos

Veja os dados sobre o coronavírus no Brasil neste domingo (31), segundo levantamento exclusivo do G1 junto às secretarias estaduais de saúde. Foram registradas 28.872 mortes provocadas pela Covid-19 e 501.985 casos confirmados da doença em todo o país.

No sábado (30), o Brasil passou a França em número de mortes por Covid-19, quando o país europeu, um dos mais afetados pela pandemia, tinha 27.121 mortos no balanço global da universidade norte-americana Johns Hopkins. Somos agora o quarto país em número de mortos pela doença, atrás de EUA, Reino Unido e Itália. O balanço do Ministério da Saúde informou 28.834 mortos e 498.440 casos. O Brasil é o segundo país no mundo com o maior número de casos confirmados da doença, atrás dos Estados Unidos.

Taxa de ocupação de leitos de UTI

  • Acre – 86% em todo o estado em 25/5
  • Alagoas – 72% em todo o estado 28/5
  • Amapá – 97,78% em todo o estado em 25/5
  • Amazonas – 82% em todo o estado em 26/5
  • Bahia – 68% em todo o estado em 27/5
  • Ceará – 89% em todo o estado em 17/5
  • Distrito Federal – 69,5% na rede privada e 42,24% na rede pública em 29/5
  • Espírito Santo – 77,55% em todo o estado em 25/5
  • Goiás – 43,3% dos leitos de gestão estadual, em todo o estado em 29/5
  • Maranhão – Grande Ilha: 95,65%; Imperatriz: 94,44%; e interior: 74,34% em 26/5
  • Mato Grosso – 14,6% em todo o estado em 27/5
  • Mato Grosso do Sul – 2,4% em todo o estado em 29/5
  • Minas Gerais – 69% em todo o estado em 27/5
  • Pará – 84,36% em todo o estado em 27/5
  • Paraíba – 75% em todo o estado em 29/5
  • Paraná – 44% em todo o estado em 29/5
  • Pernambuco – 98% em todo o estado em 28/5
  • Piauí – 61% em todo o estado em 24/5
  • Rio de Janeiro – 86% em todo o estado em 24/5
  • Rio Grande do Norte – 78% em 29/5
  • Rio Grande do Sul – 72% em todo o estado em 29/5
  • Rondônia – 62% em todo o estado em 25/5
  • Roraima – 62% em todo o estado em 25/5
  • Santa Catarina – 61,49% do sistema público em todo o estado em 27/5
  • São Paulo – 70,7% em todo o estado em 29/5
  • Sergipe – 89,6% do sistema público em todo o estado em 29/5
  • Tocantins – 50% dos leitos ocupados em 25/5

Testes feitos pelos estados

Número de testes de coronavírus feitos pelos estados

EstadoNº de testesData de divulgação
Acre12.69329/5
Alagoas2.59427/4
Amapá13.78027/5
Amazonas6.18327/4
Bahia39.94921/5
Ceará92.51529/5
Distrito Federal141.34429/5
Espírito Santo45.77729/5
Goiás11.51927/5
Maranhão52.01229/5
Mato Grosso7.01029/5
Mato Grosso do Sul7.66326/5
Minas Gerais21.32729/5
Pará27.76927/5
Paraíba42.17029/5
Paraná26.06325/5
Pernambuco50.39228/5
Piauí42.15229/5
Rio Grande do Norte19.01529/5
Rio Grande do Sul12.50826/5
Rondônia15.24029/5
Roraima71823/4
Santa Catarina29.00029/5
São Paulo87.46327/5
Sergipe16.70627/5
Tocantins7.09525/5
Total830.684

Fonte: secretarias estaduais de Saúde

Rio de Janeiro não divulgou o número de testes.

Pacientes recuperados

Pacientes recuperados de Covid-19 nos estados

EstadosNº de pacientes recuperadosData de divulgação
Acre2.03429/5
Alagoas5.06729/5
Amapá3.53429/5
Amazonas26.74227/5
Bahia5.50229/5
Ceará25.76629/5
Distrito Federal4.71429/5
Espírito Santo7.27829/5
Goiás73826/5
Maranhão8.63929/5
Mato Grosso65829/5
Mato Grosso do Sul41728/5
Minas Gerais4.33329/5
Pará24.57829/5
Paraíba2.43529/5
Paraná1.83027/5
Pernambuco10.10227/5
Piauí45629/5
Rio de Janeiro31.93427/5
Rio Grande do Norte1.41029/5
Rio Grande do Sul6.24629/5
Rondônia2.07529/5
Roraima1.02929/5
Santa Catarina4.81829/5
São Paulo19.66529/5
Sergipe2.24227/5
Tocantins1.12929/5
Total205.371

Fonte: secretarias estaduais de Saúde



GORVERNO 01 – POST

Covid-19: Potiguar de 91 anos deixa hospital depois de 13 dias internada

O neto de dona Maria, o engenheiro civil Fagner Miguel, conta que os primeiros sintomas da infecção apareceram no dia último dia 14

Foram momentos de angústias, medos e incertezas. Entretanto, depois de 13 dias a história da aposentada Maria Lopes, de 91 anos, fecha um ciclo com final feliz. Por volta das 12h deste sábado (30), ela teve alta do Hospital da Polícia, após se recuperar da infecção provocada pelo novo coronavírus (Covid-19).

No domingo (24)o portal Agora RN revelou a longa espera de dona Maria para ser transferida a uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Polícia em Natal. Uma espera que durou quase 24h.

O neto de dona Maria, o engenheiro civil Fagner Miguel, conta que os primeiros sintomas da infecção apareceram no dia último dia 14. Ela foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Macaíba, na região Metropolitana de Natal, no dia 17, onde foi internada com suspeita da doença.

“Foi um período difícil, porque quando minha avó deu entrada na UPA, a gente não tinha noção de qual seria o quadro dela. O primeiro impacto foi quando o médico disse que ela ia precisar ficar em observação, ou seja, não ia voltar para casa”, conta Fagner. Ele conta que dona Maria teve queda de pressão e apresentou febre.



Midia SL